Science.gov

Sample records for condutividade hidraulica obtida

  1. Introduccion a la hidraulica de aguas subterraneas : un texto programado para auto-ensenanza

    USGS Publications Warehouse

    Bennett, Gordon D.

    1987-01-01

    Este ' texto programado esta diseflado para ayudarle a comprender la teoria de la hidniulica de aguas subterraneas por medio de la auto-enseflanza. La instrucci6n programada es un enfoque a una materia, un metodo de aprender;que no elimina el esfuerzo mental del proceso de aprendizaje. Algunas secciones de este programa necesitan solamente ser leidas; otras tendrian que ser elaboradas con lapiz y papel. Algunas preguntas pueden ser contestadas directamente; otras requieren calculos. A medida que se avanza en el texto, tendra que consultar frecuentemente textos o referencias sobre matematicas, mecanica de fluidos e hidrologia. En cada una de las ocho partes del texto, inicie el programa de instrucci6n leyendo la Secci6n 1. Elija una respuesta a la pregunta al final de la secci6n y dirijase a la nueva secci6n indicada al lado de la respuesta escogida. Si su respuesta fue correcta, pase a la secci6n que contiene materia nueva y otra pregunta, y proceda tal como en la Secci6n 1. Si su respuesta no fue correcta, dirijase a la secci6n que contiene explicaciones adicionales sobre el tema anterior y que le indica volver a la pregunta inicial e intentar de nuevo. En este caso, valdra Ia pena repasar el material de la secci6n anterior. Continue de esta man era en el programa hasta que llegue a Ia secci6n que indica el final de la parte. Observe que aunque las secciones estan en orden numerico en cada una de las ocho partes, por lo general, usted no procedeni en secuencia numerica (Secci6n 1 ala Secci6n 2, etc.) de principia a fin.

  2. Sensor de orvalho/chuva aplicado à operação de telescópios

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Raffaelli, J. C.; Neres, N. L.; Strauss, C.

    2003-08-01

    Foi desenvolvida uma estação meteorológica para o telescópio robótico Obelix do Observatório Abrahão de Moraes que inclui sensores de temperatura e umidade, além de um inédito sensor de orvalho e chuva que comanda o fechamento automático da cúpula caso haja perigo de condensação. Este sensor é composto de uma malha de segmentos metálicos próximos e detecta o aumento da condutividade do ar que precede a condensação. Esse método é mais confiável que o critério de 100% de umidade, que pode causar falsos alarmes devido a imprecisão dos sensores de umidade em geral e por não considerar a influência dos ventos que dificultam a condensação. O trabalho apresenta o método de construção desse sensor e os testes de avaliação. Sugere-se portanto a inclusão desse sensor nas estações meteorológicas dos telescópios do país.

  3. Aquecimento alfvênico viscoso-resistivo em discos de acresção ao redor de estrelas T Tauri clássicas

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Santana, W. M.; Vasconcelos, M. J.

    2003-08-01

    Com a crescente disponibilidade de dados observacionais sobre estrelas T Tauri, a busca por modelos mais precisos vem se tornando cada vez maior. Estes modelos devem explicar, entre outras coisas, o mecanismo dissipativo responsável pelo transporte de momento angular no disco de acresção que acredita-se, circunda estas estrelas. O mecanismo mais viável, do ponto de vista teórico, é uma instabilidade MHD conhecida como "instabilidade magnetorotacional ou Balbus-Hawley" (IBH). Esta instabilidade veio mostrar que o campo magnético desempenha um papel importante na evolução destes objetos mas requer, no entanto, um acoplamento mínimo entre o gás e o campo magnético no disco que não é atingido para os valores de temperatura obtidos do modelo padrão. Contudo, alguns mecanismos de aquecimento para o disco precisam ser examinados. Neste trabalho, propomos a dissipação de ondas Alfvén como uma fonte de aquecimento para o disco. Se o gás apresentar uma condutividade elétrica finita e viscosidade, teremos um tipo de amortecimento para as ondas denominado amortecimento viscoso-resistivo que será aqui considerado. Este mecanismo é aplicado ao modelo de disco em camadas. Calculam-se as taxas de aquecimento Alfvênico, a temperatura efetiva do disco bem como as taxas de ionização decorrentes deste aquecimento e do aquecimento gerado pela absorção de raios cósmicos. Comparações com os dados observacionais de Kitamura et. al. (2001) são efetuadas, ressaltando-se os pontos comuns entre suas observações e nossos dados teóricos.

  4. Composição química, evolução e cinemática de estrelas de tipo solar

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Silva, R. O.; Porto de Mello, G. F.; Milone, A. C.

    2003-08-01

    A composição química das estrelas de tipo solar é um diagnóstico extremamente valioso da evolução química do disco da Galáxia. Existe alguma evidência de que tal evolução tem sido heterogênea no espaço e ao longo do tempo e que a composição química do Sol pode não ser um padrão representativo de abundâncias. Neste trabalho, foram obtidas as abundâncias dos elementos químicos C, N, Na, Mg, Si, Ca, Sc, Ti, V, Cr, Mn, Fe, Co, Ni, Cu, Zn, Sr, Y, Zr, Ba, La, Ce, Nd e Sm em uma amostra de estrelas de tipo solar na vizinhança solar (distâncias £ 25 pc). A técnica empregada foi a análise espectroscópica diferencial em relação ao Sol, baseando-se em dados de alta resolução (R ~ 46.000) e alta razão sinal/ruído (S/R > 300), obtidos com o espectrógrafo échelle de bancada do telescópio de 1,5 m do CTIO. Adicionalmente, abundâncias de C e N foram obtidas através de síntese de bandas moleculares dos Sistemas Eletrônicos Swan do C2 e Vermelho do CN utilizando-se um programa de síntese espectral. Os parâmetros atmosféricos foram estabelecidos usando cores fotométricas, o equilíbrio de excitação e ionização de linhas do Fe e a análise da temperatura e da luminosidade estelares no diagrama HR. Os resultados de abundâncias químicas obtidos proporcionam uma melhor compreensão da relação das abundâncias conhecidas para o Sol com a das estrelas anãs de tipo G da população local, uma vez que as razões de abundâncias de diversos elementos (em relação ao ferro) obtidas para estrelas de metalicidade semelhante à solar diferem daquelas obtidas para o Sol. Tais resultados também contribuem para um melhor entendimento do processo de evolução química da vizinhança solar e do enriquecimento nucleossintético do disco galáctico.

  5. Descoberta de um aglomerado estelar massivo associado a fonte IRAS 16177-5018

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Roman Lopes, A.; Abraham, Z.; Lépine, J. R. D.

    2003-08-01

    Neste trabalho apresentamos a descoberta de um aglomerado de estrelas jovens e massivas embebido em uma região HII extensa associado com a fonte IRAS 16177-5018, que se apresenta invisível na faixa óptica do espectro eletromagnético, onde a extinção é da ordem de AV = 26 magnitudes. As observações foram feitas com a camera infravermelha (CamIV) do Laboratório Nacional de Astrofísica, Brasil, equipada com um detector Hawaii de HgCdTe de 1024´1024 pixel acoplada ao telescópio de 60 cm Boller & Chivens do IAG. A fotometria obtida a partir das imagens nas bandas J, H e K (filtro estreito) mostrou a presença de fontes com excesso de emissão no infravermelho em 2.2 mm, concentradas em uma área de aproximadamente um minuto de arco quadrado em torno da nebulosa na qual esta embebido o objeto identificado como a fonte IRAS. A fonte IRAS apresenta um índice espectral (entre 2.2 21.3 mm) a = d log(l Fl) / d log l = 4.78, característico de um objeto extremamente jovem com luminosidade bolométrica (obtida da integral da densidade de fluxo entre o infravermelho próximo (1.25mm) e o infravermelho distante (100mm)) de 2.8´105L¤, o qual corresponde a uma estrela da sequência principal de idade zero de cerca de 42 M¤. A partir do diagrama cor-magnitude foi possível classificar a maioria dos membros do aglomerado como estrelas massivas mais luminosas que tipo espectral B5.

  6. A fonte ionizante do disco de acreção no núcleo de NGC1097

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Silva, R. N.; Storchi-Bergmann, T.

    2003-08-01

    Observações em raios-X revelam o "coração" dos núcleos ativos de galáxias, pois esse tipo de radiação provém das suas regiões mais internas, próximas ao buraco negro central. Neste trabalho apresentamos observações em raios-X da região central da galáxia NGC1097, que hospeda um buraco negro supermassivo e um disco de acreção cuja emissão vem sendo observada há dez anos através da linha de emissão Ha larga (10000 km/s) e de duplo pico. As observações em raios-X - que foram obtidas com o Telescópio Chandra - foram combinadas com observações no ultravioleta obtidas com o Telescópio Espacial Hubble e são usadas para estudar as características da fonte central que ioniza o disco de acreção. A distribuição espectral de energia é comparada com a predita por modelos, em particular o de uma estrutura "ADAF" ("advection dominated accretion flow") na parte interna do disco. Tal estrutura produz um espectro de emissão de linhas estreitas tipo LINER, como observado em NGC1097 e em rádio-galáxias que apresentam linhas de Balmer largas de duplo pico. Apresentamos também uma comparação entre outros LINERs com linhas de emissão largas de duplo pico, disponíveis na literatura ou nos arquivos do Chandra e do Telescópio Espacial Hubble e discutimos as correspondentes implicações para modelos da fonte central.

  7. Variação temporal do gradiente radial de o/h a partir de uma amostra de nebulosas planetárias

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Maciel, W. J.; Costa, R. D. D.; Uchida, M. M. M.

    2003-08-01

    Gradientes radiais de abundância são observados no disco de nossa Galáxia e também em outras galáxias espirais. No caso da Galáxia, o principal problema relativo aos gradientes é sua variação temporal, que constitui um dos principais vínculos aos modelos de evolução química da Galáxia. As nebulosas planetárias são particularmente interessantes no estudo dos gradientes e suas variações, tanto espaciais como temporais. São objetos brilhantes, podendo ser observadas a grandes distâncias, e têm abundâncias relativamente precisas de diversos elementos químicos. Além disso, sendo originadas de estrelas com massas entre 0.8 e 8 massas solares na sequência principal, incluem objetos com idades e populações diferentes, o que as torna especialmente interessantes ao estudo da variação temporal dos gradientes. Neste trabalho, apresentamos resultados recentes sobre a variação temporal do gradiente de O/H a partir de uma amostra contendo cerca de 200 nebulosas, para as quais obtivemos distâncias por métodos estatísticos. As abundâncias foram parcialmente obtidas a partir de observações em Itajubá e La Silla, sendo as restantes obtidas da literatura. Os resultados mostram, pela primeira vez, evidências de um achatamento do gradiente de O/H, de -0.11 dex/kpc para -0.06 dex/kpc nos últimos 9 giga-anos ou de -0.08 dex/kpc para -0.06 dex/kpc nos últimos 5 giga-anos. Esses valores apresentam um bom acordo com alguns modelos recentes para a evolução química da Galáxia. (FAPESP/CNPq)

  8. Observação do abrilhantamento de limbo solar e de estruturas filamentares em 48 ghz utilizando a técnica de regularização adaptativa

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Machado, W. R. S.; Mascarenhas, N.; Costa, J. E. R.; Silva, A. V. R.

    2003-08-01

    O radiotelescópio do Itapetinga tem sido utilizado em campanhas de observações de explosões solares gerando um grande número de mapas diários em 48 GHz como sub-produto destas observações. A resolução espacial do telescópio de 14m do Itapetinga nesta freqüência é de aproximadamente dois minutos de arco. Estruturas de interesse para análise da atmosfera solar quiescente tais como os filamentos e o anel de abrilhantamento do limbo são de dimensão angular moderada da ordem ou ligeiramente menores que a resolução do telescópio. É conhecido que a convolução da função de espalhamento do telescópio, PSF (padrão de ganho do feixe) borra as estruturas de dimensão angular abaixo do HPBW (largura a meia potência do feixe) e portanto é comum a busca por técnicas de restauração que eliminem pelo menos em parte este borramento. Estudamos a restauração destas radioimagens usando a técnica de regularização adaptativa e os resultados ressaltam estas estruturas espaciais de pequeno contraste. O algoritmo da regularização adaptativa faz uso de k imagens, chamadas protótipos, obtidas através da variação de parâmetros de um filtro de regularização. Para controle da qualidade da restauração utilizamos uma imagem de alta resolução espacial obtida na linha H-a e a PSF do Itapetinga para borrá-la. Pequenos desvios, entre a PSF utilizada para o borramento e a PSF utilizada na restauração, produziram alguns desvios notáveis na imagem restaurada porém a adição de ruído nas simulações de restauração foram mais influentes no cálculo da rugosidade da imagem e portanto mais limitante para a restauração. Apresentamos como nosso primeiro resultado uma imagem em 48 GHz com a presença clara do abrilhantamento de limbo que não estava evidente na imagem original e traços de estruturas filamentares, porém ainda sem grande evidência.

  9. Um satélite brasileiro para observação do diâmetro solar

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Emilio, M.; Leister, N. V.; Benevides Soares, P.; Teixeira, R.; Kuhn, J.

    2003-08-01

    Propomos uma missão espacial para medir a forma e o diâmetro solar com o objetivo de ajudar a determinar o potencial gravitacional do Sol e a sua rotação com precisão, testar modelos teóricos de variação de energia e pela primeira vez medir os modos g de oscilação. As observações serão obtidas através do instrumento denominado APT (Astrometric and Photometric Telescope) descrito por Kuhn(1983). A sensibilidade do instrumento é de 0,2 mas em 27 dias para as observações do diâmetro solar feitas a cada minuto. Esta é uma missão de três anos de duração e pode complementar as medidas que serão feitas pelo satélite PICARD (a ser lançado em 2007). Outros parâmetros físicos podem ser obtidos com as mesmas imagens o que certamente interessará à comunidade de física solar. Um primeiro contato foi realizado com a agência espacial brasileira que pretende lançar um satélite científico a cada dois anos.

  10. Observações no infravermelho médio de objetos estelares jovens em NGC 3576

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Barbosa, C.; Damineli, A.; Blum, R.; Conti, P.

    2003-08-01

    Apresentamos os resultados de observações no infravermelho médio de candidatos a objetos estelares jovens e massivos em NGC 3576. As imagens de alta resolução foram obtidas no observatório Gemini Sul com o uso dos filtros em 10,8, 7,9, 9,8, 12,5 e 18,2 mm. Nossas imagens mostram a fonte IRS 1 resolvida em 4 objetos pela primeira vez em 10 mm. Para cada objeto obtivemos a distribuição espectral de energia de 1.2 até 18 mm, bem como a temperatura de cor, a distribuição espacial e a profundidade óptica em 9,8 mm da poeira circunstelar. Apresentamos uma estimativa das massas dos objetos estudados, baseados na luminosidade emitida no infravermelho médio, bem como um modelo para explicar as diferentes características observadas de cada objeto. Finalmente discutimos a possível localização da(s) fonte(s) de ionização de NGC 3576.

  11. Perfil de temperatura dos funis magnetosféricos de estrelas T Tauri com aquecimento alfvênico

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Vasconcelos, M. J.

    2003-08-01

    Estrelas T Tauri Clássicas são objetos jovens circundados por discos de gás e poeira e que apresentam uma intensa atividade magnética. Seu espectro mostra linhas de emissão alargadas que são razoavelmente reproduzidas nos modelos de acresção magnetosférica. No entanto, o perfil de temperatura dos funis magnéticos é desconhecido. Aquecimento magnético compressional e difusão ambipolar foram considerados para estas estruturas, porém as temperaturas obtidas não são suficientes para explicar as observações. Neste trabalho, examinamos o aquecimento gerado pelo amortecimento de ondas Alfvén através de quatro mecanismos, os amortecimentos não-linear, turbulento, viscoso-resistivo e colisional como função da freqüência da onda. Inicialmente, a temperatura é ajustada para reproduzir as observações e o grau de turbulência requerido para que o mecanismo seja viável é calculado. Os resultados mostram que este é compatível com os dados observacionais. Apresentam-se, também, resultados preliminares do cálculo auto-consistente do perfil de temperatura dos funis, levando-se em conta fontes de aquecimento Alfvênica e fontes de resfriamento.

  12. Calibração do sistema imageador do telescópio MASCO

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Mejía, J.; D'Amico, F.; Villela, T.; Braga, J.

    2003-08-01

    O MASCO (MÁScara COdificada) é um telescópio imageador de raios-X e gama atualmente configurado para operar na faixa de 50 a 600 keV com uma resolução angular de 14 minutos de arco num campo de visada total circular de 23,5° de diâmetro. O MASCO está totalmente operacional e deverá ser lançado em um balão estratosférico no segundo semestre de 2003 para realizar observações durante ~20 horas a ~40 km de altitude. O telescópio utiliza uma máscara codificada de padrão uniformemente redundante modificado (MURA) de dimensões 19 ´ 19. Esse padrão pertence a uma subclasse de MURAs que apresenta anti-simetria de 90° e conseqüentemente permite a utilização da técnica de subtração de variações sistemáticas de ruído de fundo através de utilização da configuração anti-máscara, obtida com uma simples rotação da máscara. Neste trabalho apresentamos resultados de calibrações em laboratório que tiveram como objetivo testar o sistema imageador. Imagens de fontes radioativas foram obtidas com o telescópio em configuração de vôo, com a máscara girando. Serão discutidos os resultados desses testes e as técnicas desenvolvidas para eliminar ambigüidades de posição de fontes, otimização da relação sinal-ruído e observação de fontes fora do campo totalmente codificado. O sistema de máscara/antimáscara mostrou-se capaz de aumentar a relação sinal-ruído de ~60% para fontes intensas (100 s). Com a máscara girando, a técnica de reconstrução de imagens desenvolvida identificou a posição exata da fonte e não introduziu perda de sensibilidade. Imagens de uma fonte colocada a 8,3° - fora do campo totalmente codificado do telescópio -, mostraram uma diminuição de ~40% na relação sinal/ruído em relação ao centro do campo de visada, o que se deve à codificação incompleta pela máscara e à absorção parcial do fluxo pelos detectores de blindagem.

  13. Estudo comparativo entre estrelas centrais de nebulosas planetárias deficientes em hidrogênio

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Marcolino, W. L. F.; de Araújo, F. X.

    2003-08-01

    Apresentamos neste trabalho o resultado de um estudo das principais características espectrais das estrelas centrais de nebulosas planetárias (ECNP) deficientes em hidrogênio. A origem e a evolução dessas estrelas ainda constitui um problema em aberto na evolução estelar. Geralmente esses objetos são divididos em [WCE], [WCL] e [WELS]. Os tipos [WCE] e [WCL] apresentam um espectro típico de uma estrela Wolf-Rayet carbonada de população I e as [WELS] apresentam linhas fracas de carbono e oxigênio em emissão. Existem evidências que apontam a seguinte sequência evolutiva : [WCL] = > [WCE] = > [WELS] = > PG 1159 (pré anã-branca). No entanto, tal cenário apresenta falhas como por exemplo a falta de ECNP entre os tipos [WCL] e [WCE]. Baseados em uma amostra de 24 objetos obtida no telescópio de 1.52m em La Silla, Chile (acordo ESO/ON), ao longo do ano 2000, apresentamos os resultados da comparação das larguras equivalentes de diversas linhas relevantes entre os tipos [WCL], [WCE] e [WELS]. Verificamos que nossos dados estão de acordo com a sequência evolutiva. Baseado nas linhas de C IV, conseguimos dividir pela primeira vez as [WELS] em dois grupos principais. Além disso, os dados reforçam a afirmação de que as [WCE] são as estrelas que possuem a maior temperatura entre as ECNP deficientes em hidrogênio. Discutimos ainda, a escassez de dados disponíveis na literatura e a necessidade da obtenção de parametros físicos para estes objetos.

  14. Perfis de temperatura eletrônica em regiões HII

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Copetti, M. V. F.

    2003-08-01

    As flutuações de temperatura eletrônica em regiões HII, inicialmente propostas para explicar as discrepâncias entre os valores de temperatura obtidos por diferentes métodos, têm sido apontadas como a causa mais provável das enormes diferenças encontradas entre as abundâncias químicas medidas através de linhas excitadas colisionalmente e de linhas de recombinação. Recentemente têm sido reportadas tentativas de detecção e quantificação diretas das flutuações de temperatura eletrônica através de medidas ponto a ponto, obtidas por meio de espectroscopia de fenda longa, das razões de linhas [OIII]l4263/l5007 e [NII]l5755/l6584, principais sensores de temperatura. Neste trabalho, utilizamos o código numérico de fotoionização Cloudy para avaliar a confiabilidade desse procedimento. Concluímos que, para valores de densidade eletrônica e de temperatura efetiva da estrela ionizante típicos das regiões HII, os perfis superficiais de temperatura obtidos via medidas do sensor [OIII]l4263/l5007 são bons traçadores dos gradientes internos de temperatura eletrônica. Já os perfis de temperatura eletrônica medidos por meio da razão [NII]l5755/l6584 não reproduzem os gradientes verdadeiros de temperatura.

  15. Projeto observatórios virtuais: educação através de telescópios robóticos

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Santana, P. H. S.; Shida, R. Y.

    2003-08-01

    O principal objetivo do projeto Observatórios Virtuais é o ensino na área de ciências através de atividades práticas desenvolvidas em colaboração entre instituições de pesquisa em astronomia e escolas de ensino médio e fundamental. Este ano deverá ser concluída a implantação do programa piloto de estudos, pesquisas e observação astronômica direta, com utilização em tempo real de telescópios robóticos, que assim funcionarão como "observatórios virtuais". O objetivo pedagógico das atividades práticas baseadas nas imagens atronômicas é desenvolver as habilidades e competências dos alunos no uso do método científico. Para isso, serão realizados projetos interdisciplinares, a partir de observações astronômicas, já que a astronomia é uma área interdisciplinar por excelência. Essas atividades terão níveis diferenciados de complexidade, que podem ser adequados aos vários graus do ensino e realidades regionais. Será dada ênfase ao desenvolvimento e aplicação em São Paulo, onde atua a equipe do IAG/USP. Como resultados apresentados no presente trabalho, temos a criação de um software em português para o processamento de imagens obtidas através de CCDs e a elaboração de material para as atividades educacionais relacionadas.

  16. Proving the Orbits of the Galilean Moons Through Astrophotography. (Spanish Title: Comprobando Las Órbitas de Las Lunas Galileanas a Través de la Astrofotografía.) Evidenciando as Órbitas das Luas Galileanas Atravéd da Astrofotografia

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Iachel, Gustavo

    2009-12-01

    An activity related to the observation of the Galilean moons and to amateur astrophotography is presented in this work. Through the reading of excerpts of the book Sidereus Nuncius (Sidereal Messenger), by Galileo, it is possible to trace a methodology to observe the planet and its natural satellites and, with the aid of the astrophotography, to analyze the field recordings. Moreover, it is possible to compare the images obtained after plotting the relative positions of these moons to prove their orbits. This activity can be conducted by teachers, students and amateur astronomers, in order to develop their capabilities of observation of astronomical phenomena. Se presenta en este trabajo una actividad relacionada a la observación de las lunas Galileanas y a la astrofotografía amateur. A través de la lectura de tramos de la obra Sidereus Nuncius (El Mensajero Sideral) de Galileo, es posible trazar una metodología para la observación del planeta y de sus satélites naturales y, con el auxilio de la astrofotografía, analizar las anotaciones de campo. Además, es posible comparar las imágenes obtenidas con el gráfico de las posiciones relativas de estas lunas para comprobar sus órbitas. Esa actividad puede ser realizada por maestros, estudiantes y astrónomos amateurs, de forma a desarrollar sus capacidades de observación de los fenómenos astronómicos. Uma atividade relacionada à observação das luas Galileanas e à astrofotografia amadora é apresentada neste trabalho. Através da leitura de trechos da obra Sidereus Nuncius (Mensageiro Sideral), de Galileu, é possível traçar uma metodologia para a observação do planeta e de seus satélites naturais e, com o auxílio da astrofotografia, analisar as anotações de campo. Além disso, é possível comparar as imagens obtidas com o gráfico das posições relativas destas luas para evidenciar suas órbitas. Essa atividade pode ser realizada por professores, estudantes e astrônomos amadores, de forma a

  17. Estimativa de imagens solares soho através de redes neurais artificiais

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Andrade, M. C.; Fernandes, F. C. R.; Cecatto, J. R.; Rios Neto, A.; Rosa, R. R.; Sawant, H. S.

    2003-08-01

    A Rede Neural Artificial (RNA), no âmbito da teoria computacional, constitui uma teoria emergente que, por possuir habilidade em aprender a partir de dados de entrada, encontra diferentes aplicações em diferentes áreas. Um exemplo é a utilização de RNA na caracterização de padrões associados à dinâmica de processos espaço-temporais relacionados a fenômenos físicos não-lineares. Para obter informações sobre o comportamento destes fenômenos físicos utiliza-se, em diversos casos, seqüências de imagens digitalizadas, onde a caracterização de alguns fenômenos espaço-temporais é o procedimento mais viável para descrever a dinâmica das regiões ativas do Sol. Com base em imagens observadas por telescópios a bordo de satélites, estudos de previsão de eventos solares podem ser programados, permitindo prever possíveis efeitos posteriores nas regiões mais próximas da Terra (tempestades geomagnéticas e irregularidades ionosféricas). Neste trabalho avaliamos o desempenho da RNA para estimar padrões espaço-temporais, ou seja, imagens solares em ultravioleta, obtidas através do telescópio a bordo do satélite SOHO. Os resultados mostraram que as RNA conseguem generalizar os padrões de maneira satisfatória sem perder de forma significativa os principais aspectos da configuração global da atmosfera solar, comprovando a eficácia da RNA como ferramenta para esse tipo de aplicação. Portanto, este trabalho comprova a viabilidade de uso desta ferramenta em projetos voltados ao estudo do comportamento solar, em trabalhos do grupo de Física do Meio Interplanetário (FMI) na DAS e em programas desenvolvidos pelo Núcleo de Simulação e Análise de Sistemas Complexos (NUSASC) do Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada (LAC) do INPE.

  18. Identificação de radiofontes puntiformes presentes na região observada pelo telescópio BEAST

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Oliveira, M. S.; Wuensche, C. A.; Leonardi, R.; Tello, C.

    2003-08-01

    Radiofontes extragalácticas são um dos principais contaminantes nas medidas da Radiação Cósmica de Fundo (RCF) em freqüências abaixo de 200 GHz. O estudo de seu comportamento espectral permite determinar a contribuição destas fontes às anisotropias intrísincas da RCF. Um dos experimentos recentes concebidos para estudar a RCF é o BEAST (Background Emission Anisotropy Scanning Telescope), cujos primeiros resultados foram publicados em fevereiro de 2003. Nos últimos meses, geramos mapas do céu nas freqüências de 30 GHz e 41 GHz, para um total de 648 horas de observação entre julho e outubro de 2002. Identificamos 4 fontes puntiformes extragalácticas na região do céu situada entre 0h < RA < 24 h e +32° < DEC < +42°, com relação S/R > 4,3 e situadas a pelo menos 25° acima do Plano Galáctico. Suas contrapartidas em 5 GHz, segundo o catálogo GB6, são: J1613+3412, J1635+3808, J0927+3902 e J1642+3948. Estas fontes também foram identificadas pelo satélite WMAP sendo que três coincidem com as observadas pelo BEAST dentro da incerteza do feixe do telescópio e a quarta encontra-se bastante próxima (J1613+3412), embora não seja coincidente. As estimativas preliminares de fluxos obtidas para esses objetos são, respectivamente, 0,51; 0,97; 1,08 e 1,6 Jy em 41 GHz. Usando estes resultados e medidas de fluxos em outras frequências existentes na literatura, apresentamos uma estimativa dos índices espectrais destes objetos no intervalo de frequências entre 4,85 GHz e 41 GHz.

  19. Espectroscopia de candidatos a remanescentes de aglomerados abertos

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Pavani, D. B.; Bica, E.; Ahumada, A. V.; Clariá, J. J.

    2003-08-01

    A pesquisa sobre remanescentes de aglomerados abertos tem despertado grande interesse. Seguindo esta tendência encontramos estudos teóricos e observacionais. Os primeiros baseiam-se em simulações numéricas buscando determinar fração de binárias e distâncias galatocêntricas, tempo de vida e conteúdo estelar. Estes estão relacionados à função inicial de massa e densidade de estrelas, ou seja, se ricos ou pobremente povoados, compactos ou esparsos. No caso observacional procuram-se identificar os remanescentes considerando-se que trazem estas assinaturas de seus percursores. No presente estudo empregamos espectroscopia para analisar oito concentrações pobremente povoadas, previamente classificadas como aglomerados abertos, sendo sete compactas e uma esparsa. As observações foram obtidas através do telescópio de 2,15 m do CASLEO em San Juan, Argentina, em turnos entre 2001 e 2003. Utilizamos uma câmara CCD contendo um chip Tektronics de 1024X1024 pixeis aliado a um espectrógrafo REOSC. O domínio espectral vai de 3700 a 7000 Å. As reduções foram realizadas no Observatório Astronômico de Córdoba (Argentina) usando pacotes IRAF padrões. Determinamos idades, avermelhamentos e tipos espectrais através de comparações com biblioteca de estrelas e de aglomerados. Em alguns casos nossos espectros estavam dominados por estrelas individuais às quais determinamos seus tipos espectrais. Aos oito objetos adicionamos mais cinco da literatura recente analisados via espectro ou diagrama cor-magnitude. O histograma resultante contém idades típicas entre 0.5 e 3 Ganos. Considerando que predominantemente estes objetos encontram-se na vizinhança solar e, portanto, não cruzaram muitas vezes o plano Galático esperamos que a diferença no tempo necessário para dissolução destes prováveis remanescentes seja em função de diferentes massas iniciais.

  20. Ensino de Astronomia no Ensino Médio

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Albrecht, E.; Voelzke, M. R.

    2008-09-01

    O presente trabalho de intervenção foi realizado junto a Escola Estadual Colônia dos Pescadores na cidade de Caraguatatuba, com três turmas do terceiro ano do Ensino Médio, envolvendo 119 alunos, 40 na turma A, 40 na turma B e 39 na turma C. A fase inicial foi composta de um questionário de vinte questões dissertativas e objetivas para diagnosticar nos educandos os conceitos prévios sobre Astronomia e, partindo destes realizar uma interferência nas classes envolvidas utilizando metodologias diferentes sendo elas: a tradicional, onde o professor é um repassador de informações, fazendo uso exclusivo de lousa e giz; a segunda também de forma tradicional, porém com auxílio de multimídia para desenvolvimento das aulas e a terceira sob forma de seminários, elaborados e apresentados pelos educandos, no qual o educador faz apenas as intervenções necessárias. Ao final do trabalho as mesmas turmas da fase inicial orientadas pelo mesmo professor responderam novamente ao questionário proposto para diagnosticar dentre as três metodologias utilizadas qual apresentou melhores resultados, sendo os iniciais comparados com os finais. Quando questionados a respeito do significado de Astronomia observou-se inicialmente que os acertos na turma A foram de 100%,turma B: 64%, turma C: 84%, após a intervenção os acertos foram: 100%, 97% e 85% respectivamente, demonstrando claramente uma absorção de conhecimentos. Quando interrogados sobre quantos planetas você acha que existem em nosso Sistema Solar? os acertos foram: turma A: 39%, turma B: 48% e turma C: 46%, após o desenvolvimento do trabalho os acertos foram 94%, 97% e 90% respectivamente.Dentro das respostas obtidas observa-se que a metodologia tradicional com o auxílio de multimeios, aplicada na turma B, demonstrou melhores resultados, foi a mais significativa.

  1. Diferentes metodologias aplicadas ao ensino de astronomia no Ensino Médio

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Albrecht, E.; Voelzke, M. R.

    2009-03-01

    O presente trabalho de intervenção foi realizado junto à Escola Estadual Colònia dos Pescadores na cidade de Caraguatatuba, com très turmas do terceiro ano do Ensino Médio, envolvendo 119 alunos com idades entre 16 e 19 anos. A fase inicial foi composta de um questionário de vinte questíes dissertativas e objetivas, aplicado pelo professor titular da sala, que era o mesmo nas très turmas, para diagnosticar nos educandos os conceitos prévios sobre Astronomia e, partindo destes realizar um trabalho de intervenção nas classes envolvidas utilizando, em cada uma, metodologias diferentes: (A) sob forma de seminários, elaborados e apresentados pelos educandos, no qual o educador faz apenas as intervençíes necessárias; (B) de forma tradicional, com auxílio de multimídias para desenvolvimento das aulas e a terceira (C) tradicional, fazendo uso exclusivo de lousa e giz. Ao final do trabalho os alunos responderam novamente o questionário inicial para diagnosticar dentre as très metodologias utilizadas qual apresentou melhores aplicaçíes, os resultados iniciais foram comparados com os finais. Quando questionados a respeito do significado de Astronomia observou-se inicialmente que os acertos na turma A foram de 100%, turma B: 64%, turma C: 84%, após a intervenção os acertos foram: 100%, 97% e 85% respectivamente, demonstrando que houve um avanço significativo na turma B, a turma A manteve seu índice e a turma C evoluiu, porém não tanto quanto a B. Quando interrogados sobre quantos planetas vocè acha que existem em nosso Sistema Solar? os acertos foram: turma A: 39%, turma B: 48% e turma C: 46%, após o desenvolvimento do trabalho os acertos foram 94%, 97% e 90% respectivamente. Dentro das respostas obtidas observa-se que a metodologia tradicional com o auxílio de multimeios, aplicada na turma B, demonstrou melhores resultados, sendo a mais significativa. Outra conclusão muito importante é que apesar de o tema Astronomia ser amplamente

  2. Detecção inesperada de efeitos de lentes fracas em grupos de galáxias pouco luminosos em raios-X

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Carrasco, R.; Mendes de Oliveira, C.; Sodrã©, L., Jr.; Lima Neto, G. B.; Cypriano, E. S.; Lengruber, L. L.; Cuevas, H.; Ramirez, A.

    2003-08-01

    Obtivemos, como parte do programa de verificação científica do GMOS Sul, imagens profundas de três grupos de galáxias: G97 e G102 (z~0,4) e G124 (z = 0,17). Esses alvos foram selecionados a partir do catálogo de fontes extensas de Vikhlinin (1998), por terem luminosidades em raios X menores que 3´1043 ergs s-1, valor cerca de uma ou duas ordens de grandeza inferior ao de aglomerados de galáxias. O objetivo primário dessas observações é o estudo da evolução de galáxias em grupos. Grupos são ambientes menos densos que aglomerados, contêm a grande maioria das galáxias do Universo mas que, até o momento, foram estudados detalhadamente apenas no Universo local (z~0). Com esses dados efetuamos uma análise estatística da distorção na forma das galáxias de fundo (lentes gravitacionais fracas) como forma de inferir o conteúdo e a distribuição de massa nesses grupos apesar de que, em princípio, esse efeito não deveria ser detectado uma vez que os critérios de seleção adotados previlegiam sistemas de baixa massa. De fato, para G124 obtivemos apenas um limite superior para sua massa que é compatível com sua luminosidade em raios X. De modo contrário e surpreendente, os objetos G102 e G097, aparentam ter massas que resultariam em dispersões de velocidade maiores que 1000 km s-1, muito maiores do que se espera para grupos de galáxias. Com efeito, para G097 obtivemos, a partir de dados do satélite XMM, uma estimativa para a temperatura do gás intragrupo de kT = 2,6 keV, que é tipica de sistemas com dispersões de velocidade de ~ 600 km s-1, bem característica de grupos. Essas contradições aparentes entre lentes fracas e raios X podem ser explicadas de dois modos: i) a massa obtida por lentes estaria sobreestimada devido à superposição de estruturas massivas ao longo da linha de visada ou ii) a temperatura do gás do meio intra-grupo reflete o potencial gravitacional de estruturas menores que estariam se fundindo para formar uma

  3. Evolução temporal de discos circunstelares em estrelas Be

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Fernandes, M. V. M.; Leister, N. V.; Levenhagen, R. S.

    2003-08-01

    A pesquisa do mecanismo que leva uma estrela do tipo Be a perder massa e formar um envelope circunstelar, nomeado como fenômeno Be, é uma questão em aberto, intrigante, e que adquire contornos interessantes em face às informações espectroscópicas de alta resolução. Nesta última década, consolida-se a idéia de que a forma destes envelopes é de tipo discóide, obedecendo a uma lei Kepleriana de velocidades, e mais ainda, recentemente há evidências de que a distribuição de matéria nestes discos pode assumir um caráter de anel. Medidas de algumas dimensões de discos circunstelares puderam ser obtidas pela análise de espectros de alta resolução e alta relação sinal-ruído para as estrelas Be: alpha Eri (HD 10144, B3Vpe), omicron And (HD 217675, B6IIIpe), e eta Cen (HD el972, B1.5Vne), no período dos anos de 1991 a 2001. Alguns modelos clássicos de envelope predizem uma distribuição de massa que decresce suavemente a partir da superfície estelar. Entretanto, considerando que a separação de picos de emissão em perfis de linhas do HeI e H-alpha, alargados por efeitos cinemáticos, é função do raio estelar e da velocidade rotacional projetada (vsini); nossos resultados sugerem a presença de um anel de matéria circunstelar, que aparece logo após a ejeção do material fotosférico, imediatamente acima da superfície estelar, e que se expande para raios maiores ao longo do tempo, eventualmente desconectando-se da superfície por uma região de densidade de matéria mínima. Tais interpretações revivem a idéia de que anéis de matéria circunstelar podem ser os responsáveis por algumas variabilidades em perfis de linhas de emissão, como as variações V/R.

  4. BUDDA (Bulge/Disk Decomposition Analysis) - um novo programa para análise estrutural de galáxias

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Gadotti, D. A.; de Souza, R. E.; Dos Anjos, S.

    2003-08-01

    Tem sido prática comum nos últimos anos estudar a distribuição de luminosidade em galáxias fazendo uso da informação contida em toda a imagem da galáxia, já que esta técnica tem se mostrado muito mais confiável do que o simples ajuste de perfis radiais de luminosidade. Através destes estudos bidimensionais, melhores resultados tem sido obtidos na análise e.g. do Plano Fundamental, de correlações entre os parâmetros estruturais de galáxias, de sub-estruturas como barras e anéis nucleares etc. Apresentamos um novo código bidimensional, o BUDDA, de análise estrutural de galáxias, que será disponibilizado para a comunidade. Desenvolvido por nós, o código determina os parâmetros estruturais de galáxias de forma prática e robusta, e pode ser aplicado genericamente em qualquer estudo sobre a formação, evolução e estrutura de galáxias. O programa ainda permite a avaliação direta de sub-estruturas, através de imagens residuais que são obtidas ao se subtrair, das imagens originais, bojo e disco sintéticos que melhor representam essas componentes da galáxia sob consideração. Será apresentada a forma de utilização do código, bem como séries de testes que atestam a sua funcionalidade. Além disso, os resultados da aplicação do código em uma amostra de 51 galáxias serão expostos como exemplo prático, e do seu enorme potencial de uso.

  5. A distância e o conteúdo estelar da região HII gigante G333.1-0.4 - vínculos para a taxa de formação estelar da galáxia

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Figuerêdo, E.; Damineli, A.; Blum, R.; Conti, P.

    2003-08-01

    Neste trabalho apresentamos imagens de alta resolução angular da região HII gigante G333.1-0.4 obtidas através dos filtros J, H e K no telescópio de 4-m do CTIO. Este trabalho faz parte de um estudo de regiões HII gigantes no infravermelho próximo que tem por objetivo estudar a natureza da formação de estrelas massivas e traçar a estrutura espiral de nossa galáxia. Nossa determinação da distância é baseada no método da paralaxe espectroscópica de estrelas OB localizadas na seqüência principal de idade zero (ZAMS) do Diagrama HR. No caso de G333.1-0.4, a magnitude aparente das estrelas localizadas na ZAMS indica que a distância não pode ser maior do que o limite inferior determinado por técnica rádio (2,8 kpc). Resultados semelhantes foram encontrados para regiões estudadas anteriormente, reforçando a idéia de que a taxa de formação estelar na Via Láctea é menor do que o determinado a partir de dados rádio. Nossos resultados mais recentes sobre o conteúdo estelar de G333.1-0.4 revelaram vários objetos que possuem cores bastante avermelhadas (H-K > 2,0). Nós identificamos estes objetos usando os diagramas cor-cor e cor-magnitude dos aglomerados. Estes objetos apresentam um forte excesso em emissão na banda K e possivelmente se tratam de estrelas do tipo OB envolvidas por um disco/envelope circumestelar espesso. O estudo da função de massa inical desta região, em conjunto com resultados de nossos trabalhos anteriores, aponta para uma IMF independente da posição galática. A contagem de estrelas nos fornece um valor para o número de fótons no contínuo de Lyman que corrobora com a afirmação de que G333.1-0.4 se encontra mais próxima da menor distância determinada por rádio.

  6. Correlação de longo alcance em sistemas binários de raios-x usando remoção de flutuações

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Pereira, M. G.; Moret, M. A.; Zebende, G. F.; Nogueira, E., Jr.

    2003-08-01

    Neste trabalho é proposta uma metodologia de analise de series temporais de fontes astrofísicas, baseada no método proposto por Peng et al. (1994) e Liu et al. (1999), o qual consiste na idéia de que uma série temporal correlacionada pode ser mapeada por um processo de busca de auto-similaridades em diversas escalas de tempo n. Removendo as eventuais tendências e integrando o sinal observado, é obtida uma medida do desvio médio quadrático das flutuações do sinal integrado F(n)~na, onde a representa o fator de escala associado com a auto-similaridade da correlação de longo alcance do sinal. Baseado nos valores obtidos de a, é possível distinguir entre os casos de sinais não-correlacionados, tipo ruído branco (a = 0,5), sinal anti-persistentes (a < 0,5) e sinal persistente (a > 0,5). Usando esta metodologia, foram analisadas 129 curvas de luz de sistemas binários de raios-X, provenientes do banco de dados públicos de observações feitas pelo instrumento All Sky Monitor, a bordo do satélite Rossi X-Ray Timing Explorer (ASM-RXTE). Foram identificadas a presença de a'0,5 em mais de 90% dos sistemas estudados, implicando em dizer que as flutuações de intensidade observadas apresentam correlação de auto-similaridade, sem entretanto, indícios de apresentarem uma escala de tempo característica das flutuações de intensidade. Sistemas onde são observadas erupções (flares), apresentam sistematicamente a > 0,5, característica esta, possivelmente associada com persistência das flutuações de densidade de disco ou taxa de acréscimo de massa. Os sistemas com curvas de luz onde nao são observadas as erupções apresentam uma distribuição normal centrada em a~0,62+/-0,10. Referências ¾ Peng, C.-K., Buldyrev, S.V., Havlin, S., Simons, M., Stanley, H.E., e Goldberg, A.L., Phys. Rev. E, (49), 1685 (1994). ¾ Liu, Y., Gopikrishnan, P., Cizeau, P., Meyer, M., Peng,C.-K., e Stanley, H.E., Phys. Rev. E, (60), 1390 (1999).

  7. Propriedades de estruturas temporais rápidas submilimétricas durante uma grande explosão solar

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Raulin, J.-P.; Kaufmann, P.; Gimenez de Castro, C. G.; Pacini, A. A.; Makhmutov, V.; Levato, H.; Rovira, M.

    2003-08-01

    Apresentamos novas propriedades de variações rápidas da emissão submilimétrica durante uma das maiores explosões solares do ciclo solar 23. Os dados analisados neste estudo foram obtidos com o Telescópio Solar Submilimétrico (SST), que observa o Sol em 212 GHz e 405 GHz, e comparados com emissões em Raios-X duros e Raios-gama (fótons de energia > 10 MeV), que foram obtidas pelo experimento GRS do Yohkoh. Aplicamos diferentes metodologias para detectar e caracterizar, ao longo do evento, os pulsos submilimétricos (duração de 50-300 ms) detectados acima de uma componente mais lenta (alguns minutos). Os resultados mostram que durante a fase impulsiva, num instante próximo ao tempo do máximo do evento, houve um aumento da ocorrência de maiores e de mais rápidas estruturas temporais. Também identificamos uma boa correlação com as emissões em raios-X e raios-gama (até a faixa de energia 10-100 MeV), indicando que os pulsos rápidos submilimétricos refletiram injeções primárias de energia durante o evento.O espectro do fluxo desses pulsos é crescente com a freqüência entre 212 and 405 GHz, na maioria dos casos, ao contrário do observado para a componente gradual. As posições calculadas para as estruturas rápidas são discretas, compactas e localizadas em toda a área da região ativa, o que é previsto nos modelos de explosões solares decorrentes de instabilidades múltiplas em diferentes pequenas regiões. Por outro lado, a posição calculada para a componente lenta é estável durante a fase impulsiva. Assim, a comparação entre as características do espectro de fluxo e da localização da emissão, para os pulsos rápidos e para a componente gradual, sugere que as respectivas emissões são de natureza diferente.

  8. Determinação da massa de júpiter a partir das órbitas de seus satélites: um experimento didático

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Schlickmann, M. S.; Saito, R. K.; Becker, D. A.; Rezende, M. F., Jr.; Cid Fernandes, R.

    2003-08-01

    Este trabalho apresenta o roteiro piloto de uma prática observacional em astronomia, junto com os primeiros resultados obtidos nesta fase de implementacão. O projeto, que será executado em duas etapas, visa introduzir noções de Astronomia a alunos do Ensino Médio e iniciantes nos cursos de Física. O experimento consiste em medir as órbitas dos satélites Galileanos e, a partir da análise dos dados coletados, verificar a validade da Lei das órbitas de Kepler, determinando a massa do planeta Júpiter. Em uma primeira etapa, as observações serão feitas utilizando um telescópio Meade LX200 10" e câmera CCD para obter uma seqüência de imagens do planeta, que possibilitará medir o movimento de seus satélites. A segunda etapa terá início a partir do funcionamento do telescópio em modo robótico, com a possibilidade de observações via internet por instituições de ensino. Para o desenvolvimento deste experimento foram inicialmente coletadas várias imagens de Júpiter obtidas com os instrumentos citados acima. Estas imagens serviram como base para confecção dos roteiros para a experiência no nível médio e superior. Os roteiros serão inicialmente apresentados em uma home-page. Nela também se buscará uma contextualização histórica da experiência bem como o estabelecimento de relações com professores e alunos, propostas metodológicas e a disponibilização dos programas computacionais necessários para a utilização "on-line" pelos usuários. O projeto conta com apoio da Fundação VITAE.

  9. Populações estelares do bojo galáctico

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Escudero, A. V.; Costa, R. D. D.; Maciel, W. J.

    2003-08-01

    Os estudos mais recentes do bojo galáctico têm enfocado essencialmente as abundâncias químicas de elementos pesados, como o ferro, obtidos a partir das estrelas nas regiões centrais da galáxia. Elementos leves, como hélio, nitrogênio, oxigênio e argônio ainda são pouco estudados nestas regiões, devido à difícil determinação de suas abundâncias a partir de estrelas. Nestas condições as nebulosas planetárias desempenham um importante papel, pois permitem a determinação de abundâncias destes elementos usando técnicas de espectroscopia nebular. Neste trabalho, reportamos a análise das abundâncias químicas de uma nova amostra de nebulosas planetárias do bojo, bem como os resultados preliminares de um código numérico destinado a modelar a evolução química desta região. Usamos como vínculos observacionais os resultados obtidos das nebulosas planetárias, bem como de abundâncias estelares da região do bojo, obtidas da literatura. A partir deste modelo da evolução química e dos vínculos observacionais foi possível fazer um diagnóstico mais preciso das populações que constituem o bojo galáctico. O estudo destas populações que compõem a região central de nossa galáxia é de extrema importância para o maior entendimento da evolução química e dinâmica da galáxia como um todo. Por isto, verificamos a importância dos modelos de formação simples e mista utilizados para explicar características da população da região central da galáxia. Algumas destas características são: uma grande dispersão nos valores das abundâncias químicas e um grande espalhamento nas correlações entre as abundâcias de nitrogênio e oxigênio. Estas peculiaridades são dificilmente reproduzidas por modelos de formação simples, e portanto são importantes indícios da validade dos modelos de formação mista, tais como um rápido colapso do bojo seguido de uma evolução secular. (FAPESP, CNPq)

  10. A causa das estações do ano: modelos mentais

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    de Campos, J. A. S.; de Araujo, J. F. S.

    2003-08-01

    A década de 70 do século passado foi marcada pelo estudo das concepções alternativas que os alunos trazem para a sala de aula. A identificação destas concepções foi o ponto de partida para promover a mudança conceitual, onde as pré-concepções seriam trocadas pelas concepções científicas. Na década seguinte, surgiram muitas propostas de estratégias educacionais para facilitar esta troca, na sua maioria baseadas na idéia do conflito cognitivo, proposta por Piaget. Entretanto, os resultados pouco animadores conduziram à percepção de que a mudança conceitual é um processo mais complexo. Pelas idéias da Ciência Cognitiva, a mudança conceitual é uma mudança progressiva dos modelos mentais que o aluno tem sobre o mundo físico, através de enriquecimento e revisão. A causa das Estações do Ano é um tópico sobre o qual a maioria dos estudantes apresenta concepções alternativas. Os autores fizeram um levantamento sobre as pré-concepções encontradas em trabalhos sobre o tema (16 referências), procurando encontrar elementos comuns que indicassem a presença de modelos mentais específicos. As pré-concepções encontradas na literatura foram obtidas usando-se diversas metodologias (desde entrevistas clínicas até questionários de múltipla escolha) e envolvendo alunos e professores de diferentes regiões geográficas. A partir de uma análise aprofundada de cada trabalho, e utilizando-se a técnica das Redes Sistêmicas, chegou-se a conclusão que as diversas pré-concepções identificadas (em torno de 50), poderiam ser representadas por 6 modelos mentais, onde a explicação da causa das estações do ano tem um mecanismo causal responsável. Os mecanismos causais identificados foram: a dependência da distância, a dependência da orientação, a dependência conjunta da distância e orientação, a dependência da obstrução, a dependência da velocidade e a dependência da inclinação dos raios solares. Foram ainda identificadas

  11. Datação do disco galáctico pela nucleocosmocronologia do [Th/Eu

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    del Peloso, E. F.; da Silva, L.; Arany-Prado, L. I.

    2003-08-01

    A nucleocosmocronologia emprega abundâncias de nuclídeos radioativos na datação de escalas de tempo astrofísicas. O 232Th é um nuclídeo radioativo com meia-vida de 14 Gano, enquanto que os dois isótopos mais abundantes do Eu são estáveis. O decaimento radioativo do Th modifica as razões de abundâncias [Th/Eu], fornecendo assim um meio de sondar a escala de formação das populações estelares. O objetivo deste trabalho é averiguar a possibilidade de estimar uma idade para o disco Galáctico através da nucleocosmocronologia do [Th/Eu] e investigar o nível de incerteza associado a esta estimativa. Para tanto, foi selecionada uma amostra de 20 estrelas anãs ou subgigantes de tipos espectrais F5 a G9, com -1,00 £ [Fe/H] £ +0,30 e idade(Gano) £ 13. As abundâncias de Th e Eu foram obtidas por síntese espectral das linhas localizadas em 4019,1 Å e 4129,7 Å, respectivamente. Uma comparação destas abundâncias com outros resultados da literatura demonstra que nossos valores apresentam dispersão 2 a 3 vezes menor que qualquer trabalho anterior. Os parâmetros atmosféricos e abundâncias dos elementos que contaminam as regiões espectrais destas linhas foram determinados por nós, de maneira totalmente autoconsistente, através de análise espectral detalhada diferencial em relação ao Sol. As idades estelares individuais foram determinadas através de curvas isócronas teóricas no diagrama HR. Foi realizada, então, uma análise cronológica dos gráficos [Th/Eu] vs. [Fe/H] e [Th/Eu] vs. idade. Os dados estelares foram comparados a curvas calculadas para 3 idades do disco Galáctico - 9, 12, 15 Gano - e foi estudada a sensibilidade à idade assumida no cálculo do ajuste destas curvas aos dados. Estas curvas foram calculadas com base num modelo analítico de evolução química da Galáxia que leva em consideração a formação de refugos, que são compostos pelos remanescentes da evolução estelar, pelos resíduos da formação de estrelas de

  12. Birds and people in semiarid northeastern Brazil: symbolic and medicinal relationships

    PubMed Central

    2013-01-01

    Abstract Background At least 511 species of birds occur in the semiarid region of northeastern Brazil and many of them interact with human populations in a number of different ways, including their use in zootherapeutics and their links with local beliefs. Objective The present work examined these types of birds/human interactions (use in zootherapeutics and their links with local beliefs) in the semiarid region of Rio Grande do Norte State in northeastern Brazil. Methods Information was obtained through semi-structured interviews with 120 local residents. Results A total of 16 wild bird species distributed among 11 families were found to interact directly with humans, with Columbidae being the best represented family. Seven species were identified in the medicinal category, five were related to symbolic aspects, while four species were identified as being related to both categories (medicinal and symbolic). Conclusion The accumulated folk knowledge, beliefs, and practices involving the avifauna in the semiarid region of Brazil, whether symbolic or medicinal, demonstrated the cultural importance of this vertebrate group to local human populations and revealed a belief system intrinsically related to cynegetic practices in the region. Portuguese abstract Introdução No semiárido do Brasil ocorrem 511 espécies de aves, algumas das quais interagem frequentemente com as populações humanas locais de diferentes formas, incluindo o uso como zooterápico e a inserção em crenças. Objetivo Esta pesquisa registrou as aves diretamente associadas a essas formas de interação (o uso como zooterápico e a inserção em crenças) na região semiárida do Estado do Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil. Métodos As informações foram obtidas através de entrevistas semiestruturadas aplicadas a 120 moradores locais. Resultados Foram registradas 16 espécies de aves silvestres distribuídas em 11 famílias, sendo Columbidae a que apresentou o maior número de

  13. Análise Temporal da Coma de CO+ no Cometa P/Halley

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Voelzke, M. R.; Schlosser, W.; Schmidt-Kaler, Th.

    1995-08-01

    Observações fotográficas e fotoelétricas da coma de gás ionizado do cometa P/Halley a nível de CO+ em 4250 angstroms fizeram parte do programa de Monitoramento do Halley desenvolvido pela Universidade de Bochum (Ruhr-Universitaet Bochum) na Alemanha, realizado de 17 de fevereiro a 17 de abril de 1986 no European Southern Observatory (ESO) em La Silla (Chile). Nesta faixa espectral é possível observar a contínua formação, bem como o movimento e expansão das estruturas de plasma. Para observar a morfologia destas estruturas foram analisadas 32 placas fotográficas de CO+ (placas de vidro) do cometa P/Halley. Tais placas possuem um campo de visão de 28,6 por 28,6 graus sendo obtidas entre 29 de março e 17 de abril de 1986 com tempos de exposição entre 20 e 120 minutos. Todas as placas foram digitadas com o auxílio de um microdensitômetro PDS 2020 GM (Photometric Data System) do Instituto Astronómico da Westfaelischen Wilhelms-Universitaet em Muenster, Alemanha (um pixel = 25 por 25 micrômetros correspondendo aproximadamente a 46,88 por 46,88 segundos de arco). Após a digitação os dados foram reduzidos à intensidades relativas, sendo que os posssíveis de calibração também foram reduzidos à intensidades absolutas, expressas em termos de densidade colunar utilizando-se dos sistemas de tratamento de imagens MIDAS (Munich Image Data Analysis System; ESO - Image Processing Group, 1988) e IHAP (Image Handling And Processing; Middleburg, 1983). Com o auxílio do método de teta mínimo de Stellingwerf (Stellingwerf, 1978) obteve-se um período de 2,22 +/- 0,09 dias a partir da análise de estruturas na coma de plasma através da subtração de imagens subsequentes. Este método foi comparado com o método de Fourier. Provavelmente exista um segundo ciclo com período aproximado de 3,6 dias. A idéia de subtrair imagens subsequentes é devido ao fato de que os efeitos de rotação são apenas 10% dos fenômenos de distribuição gasosa. Portanto as

  14. Severe maternal morbidity: a case-control study in Maranhao, Brazil

    PubMed Central

    2013-01-01

    para morbidade materna grave em São Luís, capital de um dos estados mais pobres do Brasil. Método Estudo caso-controle realizado em duas maternidades públicas de alto risco e duas UTIs de referência aos casos obstétricos entre 01/03/2009 e 28/02/2010. Foram incluídas todas as pacientes internadas por complicação do período grávido-puerperal e que preenchiam os critérios de Waterstone e/ou Mantel para morbidade materna grave. Foram selecionados para cada caso, dois controles por sorteio aleatório dentre as pacientes internadas no mesmo período e mesma maternidade que o caso. As informações de domínio sociodemográfico, clínico, obstétrico, comportamental, exposição a eventos estressores na gestação, assistência ao pré-natal, intercorrências obstétricas e atenção ao parto, foram obtidas por meio de entrevista estruturada. As variáveis foram analisadas por modelo de regressão logística múltipla não condicional, baseado em modelo hierarquizado a priori. Resultados Foram identificados como fatores de risco para morbidade materna grave: idade >35 anos (OR=3,11; IC 95%:1,53-6,31), hipertensão prévia à gestação (OR=2,52; IC 95%:1,09-5,80), antecedente de aborto (OR=1,61; IC 95%:0,97-2,68), ter realizado 4–5 consultas pré-natais (OR=1,78; IC 95%:1,05-3,01) ou 1–3 consultas (OR=1,89; IC 95%:1,03-3,49). Conclusão Os resultados do estudo corroboram a importância da assistência à saúde reprodutiva e o pré-natal completo e qualificado na prevenção de eventos mórbidos graves durante o ciclo grávido-puerperal. PMID:23399443

  15. Value of the Qrs-T Angle in Predicting the Induction of Ventricular Tachyarrhythmias in Patients with Chagas Disease.

    PubMed

    Zampa, Hugo Bizetto; Moreira, Dalmo Ar; Ferreira Filho, Carlos Alberto Brandão; Souza, Charles Rios; Menezes, Camila Caldas; Hirata, Henrique Seichii; Armaganijan, Luciana Vidal

    2014-10-28

    .95; CI 0.99-15.82; p = 0.052). The EF also emerged as a predictor of induction of VT / VF: for each point increase in EF, there was a 4% reduction in the rate of sustained ventricular arrhythmia on EPS. Conclusions: Changes in the QRS-T angle and decreases in EF were associated with an increased risk of induction of VT / VF on EPS.Fundamento: O ângulo QRS-T mostra correlação com prognóstico em pacientes com insuficiência cardíaca e doença coronariana, traduzido por um aumento na mortalidade proporcional ao aumento na diferença entre os eixos do complexo QRS e da onda T no plano frontal. Até hoje, nenhuma informação a este respeito foi obtida em pacientes com cardiopatia chagásica. Objetivo: Correlacionar o ângulo QRS-T com a indução de taquicardia ventricular / fibrilação ventricular (TV / FV) em chagásicos durante estudo eletrofisiológico (EEF). Métodos: Estudo caso-controle em centro terciário. Pacientes sem indução de TV / FV ao EEF foram utilizados como controles. O ângulo QRS-T foi categorizado como normal (0-105º), limítrofe (105-135º) e anormal (135-180º). As diferenças entre os grupos foram analisadas pelo teste t ou teste de Mann-Whitney para variáveis contínuas, e teste exato de Fisher ou qui-quadrado para variáveis categóricas. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos. Resultados: De 116 pacientes submetidos ao EEF, 37,9% foram excluídos por estarem com dados incompletos / prontuários inativos ou pela impossibilidade de se calcular corretamente o ângulo QRS-T (presença de bloqueio de ramo esquerdo e fibrilação atrial). De 72 pacientes incluídos, 31 induziram TV / FV ao EEF. Destes, o ângulo QRS-T se encontrava normal em 41,9%, limítrofe em 12,9% e anormal em 45,2%. No grupo de pacientes sem indução de TV / FV, o ângulo QRS-T se encontrava normal em 63,4%, limítrofe em 14,6% e anormal em 17,1% (p = 0,04). Quando comparados aos pacientes com ângulo QRS-T normal, o risco de indução de TV / FV nos

  16. Farmyard Manure and Fertilizer Effects on Seed Potato (Solanum tuberosum L.) Yield in Green House Production

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    László, M.

    2009-04-01

    %. Entre as misturas 1 e 2, foi melhor a 2. (80% latossolo vermelho novo, 10% palha de arroz queimado, 10% esterco de curral). Examinando-se 15 fatores, entre 11 casos afirmou-se a mistura como para melhor que a mistura 1. (70% latossolo vermelho novo, 20% palha de arroz queimado, 10% esterco de curral). Em caso de número de tuberculos 0-20 mm com a mistura 2. foi possivel aumentar geralmente os números de tuberculos em 77% que a mistura padrão. Efeitos de adubação 1. Área da folhas por planta entre manejo foi melhor de modo significativo a doságem de 3.6 grama vaso-1 adubo complexo (3103 cm2 plantas-1). 2. Peso fresco da folhas e de hastes por plantas as tendencias foram parecidos com o da área de folhas. 3. Peso fresco de raizis por planta até 7.2 grama vaso-1 diminuiu depois aumentou. 4. Peso fresco total de tuberculos por planta as crescentes doságens de um modo forte diminuiram a produção de tuberculos de 0 e 18.0 grama vaso-1 em 160% em os dois caso da mistura. 5. Peso de fitomassa fresco por planta foi melhor a 3.6 g vaso-1 (239 grama planta-1 em médio da dois mistura), depois os dados diminuirám. 6. Produção de biomassa fresco por planta a maxima produção (188 grama planta-1) foi obtida com 3.6 grama vaso-1. Deste ponto de modo forte caiu a produção. 7. Peso da matéria seca de folhas, hastes e raizis por planta somente em caso de mistura padrão o resultado foi significativo em relação aos outros tratamentos. 8. Péso da matéria seca de tuberculos total por planta modo significativo diminuiu a produção (0 e 18.0 grama vaso-1 = 360%) em médio da duas misturas. 9. Biomassa produção de materia seca por planta modo significativo diminuiu para efeito de alta dosagens de adubo complexo (0 e 18.0 grama vaso-1 = 158%) em médio da duas misturas. 10. Peso fresco de tuberculos com 0-20 mm as crescentes dosagens de 0 e 18.0 grama vaso-1 diminuiram a produção em 213% em médio da duas misturas. 11. Peso fresco de tuberculos com 20 mm-1 as