Science.gov

Sample records for favelados dizem quando

  1. Germs and Hygiene - Multiple Languages: MedlinePlus

    MedlinePlus

    ... Hmoob) Japanese (日本語) Khmer (Khmer) Korean (한국어) Portuguese (português) Russian (Русский) Somali (af Soomaali) Spanish (español) Tagalog ( ... 한국어 (Korean) Bilingual PDF Health Information Translations Portuguese (português) Cover Your Cough English Cubrase quando tossir - português ( ...

  2. Common Cold - Multiple Languages: MedlinePlus

    MedlinePlus

    ... 繁體中文) French (français) Hmong (Hmoob) Khmer (Khmer) Portuguese (português) Spanish (español) Tagalog (Tagalog) Vietnamese (Tiếng Việt) Chinese - ... PDF Centers for Disease Control and Prevention Portuguese (português) Cover Your Cough English Cubrase quando tossir - português ( ...

  3. Common Infant and Newborn Problems - Multiple Languages: MedlinePlus

    MedlinePlus

    ... Hindi (हिन्दी) Japanese (日本語) Korean (한국어) Portuguese (português) Russian (Русский) Somali (af Soomaali) Spanish (español) Vietnamese ( ... 한국어 (Korean) Bilingual PDF Health Information Translations Portuguese (português) When Should I Call My Baby's Doctor? Quando ...

  4. University Students' Conceptions about the Moon Phases. (Spanish Title: Concepciones de Estudiantes Universitários sobre Las Fases de la Luna.) Concepções de Estudantes Universitários sobre as Fases da Lua

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    de Fátima Oliveira Saraiva, Maria; da Silveira, Fernando Lang; Steffani, Maria Helena

    2011-07-01

    teste notamos que a porcentagem de acertos a respeito de alguns conceitos teve um aumento significativo associado à reformulação da pergunta, ressaltando a importância de tomar cuidado para evitar respostas erradas geradas por perguntas pouco claras e não por ignorância do respondente sobre o assunto. Confirmamos os resultados de outros estudos de que as maiores dificuldades dos alunos sobre o tema Fases da Lua dizem respeito a relacionar a fase que a Lua apresenta com a sua posição no céu em determinada hora. Por outro lado, nossos resultados sugerem que, em geral, os estudantes de Física entendem melhor o fenômeno das fases lunares do que a média dos estudantes universitários.

  5. Resposta do detector de ondas gravitacionais Mario Schenberg ao "ringdown" de buraco negros

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Costa, C. A.; Aguiar, O. D.; Magalhães, N. S.

    2003-08-01

    Acredita-se que quando duas estrelas de nêutrons coalescem, elas, eventualmente, formam um buraco negro com massa igual a soma das massas dos objetos originais. Durante a formação do buraco negro, o espaço-tempo em torno do sistema sofre perturbações que se propagam na forma de radiação gravitacional. A forma de onda associada a radiação gravitacional, durante este estágio, aproxima-se a uma senóide exponencialmente amortecida. Este tipo de sinal é conhecido como "ringdown", e seu comportamento e parametrização são muito bem conhecidos. Neste trabalho, simulamos computacionalmente sinais provenientes do "ringdown" de buracos negros, com a finalidade de testar o desempenho do detector de ondas gravitacionais Mario Schenberg em observá-los, quando entrar em funcionamento. Este primeiro teste teórico ajudou-nos a criar estratégias de detecção de sinais imersos no ruído instrumental. Calculamos a relação sinal-ruído como uma função da frequência, bem como sua integral dentro da faixa de sensibilidade do detector. Os resultados obtidos mostraram que o detector Schenberg terá sensibilidade suficiente para detectar este tipo de sinal, proveniente de fontes astrofísicas localizadas dentro de um raio de ~100kpc.

  6. Na Cauda do Cometa

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Voelzke, M. R.

    2009-01-01

    Quando viam um cometa, os antigos gregos imaginavam uma estrela com uma vasta cabeleira. Não à toa, a palavra deriva do termo koma, que significa cabelo. Constituídos por fragmentos de gelo e gases, os cometas possuem um núcleo sólido, que pode ter vários quilômetros de diâmetro, e uma cauda que sempre aponta na direção contrária ao Sol, devido aos ventos solares. Graças à aparência de pontos luminosos em movimento (ao contrário de outros astros, que parecem estáticos), esses corpos celestes foram interpretados por diferentes povos com muito misticismo, inspirando mitos tanto de boas-novas como de maus presságios. Conheça algumas dessas histórias:

  7. High School Students' Previous Knowledge about the Stars. (Spanish Title: Conocimientos Previos de Estudiantes de Secundaria Acerca de Las Estrellas.) O Conhecimento Prévio de Alunos do Ensino Médio sobre as Estrelas

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Iachel, Gustavo

    2011-12-01

    reconocen que una estrella es formada por una masa de gas; varios conocimientos previos parten de aspectos puramente visuales; por otro lado, los estudiantes no tienen el hábito de observar la naturaleza detalladamente, entre otros problemas. Vemos esta investigación como una probable fuente de referencia en la que los profesores de ciencias pueden reconocer la importancia del conocimiento previo, y la forma como interfieren con su práctica de enseñanza, además de la adquisición de recursos para la planificación de sus clases. Com base em leituras de artigos relacionados ao ensino de Astronomia publicados no Brasil, verificou-se a inexistência de investigações sobre o conhecimento prévio de estudantes acerca das características físicas das estrelas, fato que nos motivou a desenvolver a pesquisa apresentada. Os conhecimentos prévios de 125 estudantes do primeiro ano do ensino médio constituíram os dados do estudo, os quais foram inferidos através da análise das respostas cedidas em questionários impressos (Apêndice A). A partir da análise de conteúdo dessas respostas tornou-se possível realizar algumas inferências como, por exemplo: vários estudantes possuem dificuldade em elaborar um modelo explicativo sobre o funcionamento de uma estrela; são poucos os que dizem que as estrelas possuem certo tempo de existência; alguns alunos as imaginam com pontas; poucos reconhecem que uma estrela é formada por uma massa de gás; vários conhecimentos prévios partem de aspectos meramente visuais; ainda assim, os estudantes não possuem o hábito de observar a natureza mais detalhadamente, entre outras. Vemos essa pesquisa como uma provável fonte de consulta na qual os professores de ciências poderão, além de reconhecer a importância dos conhecimentos prévios para o ensino e como eles interferem em sua prática, adquirir subsídios para o planejamento de suas aulas.

  8. Astronomy in Science Textbooks: An Analysis of Pnld 2008. (Spanish Title: Astronomía en los Libros de Ciencia: un Análisis del Pnld 2008.) Astronomia Nos Livros Didáticos de Ciências: Uma Análise do Pnld 2008

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Amaral, Patrícia; Quintanilha Vaz de Oliveira, Carlos Eduardo

    2011-12-01

    The importance of the textbooks in classrooms is revealed when studies are pointing that these pedagogical sources are, most of the times, the only source used by the elementary school teachers when preparing their Science lessons. When we analyzed the Astronomy contents in the textbooks approved by the Brazilian Textbook Program 2008 and which, in theory, are the best available in the Brazilian editorial market, we examined some categories in the 2008 Textbook Guide. This research characterizes the frequency of Astronomical contents appearing in the texts, in the pictures, and in the hands-on activities. Additionally, it describes some misconceptions and presents additional information on the collections. La importancia de los libros de texto en las aulas se pone de manifiesto cuando los estudios indican que este recurso educativo es a menudo la única fuente de consulta utilizada por el profesor de ciencias de la escuela primaria para preparar sus lecciones. Cuando analizamos el contenido presente en los libros de texto de astronomía aprobados por el Programa Nacional de Libros de Texto de 2008 y que, en teoría, son los mejores libros disponibles en el mercado editorial brasileño, buscamos examinar algunas categorías que figuran en los libros de texto de la Guía de Libros Didácticos de 2008. El estudio caracteriza la frecuencia del contenido de Astronomía en el texto, en las figuras, y en las actividades de experimentación. También describe algunos errores conceptuales y presenta un conjunto de información adicional sobre las colecciones. A importância dos livros didáticos nas salas de aula revela-se quando estudos apontam que este recurso pedagógico é, muitas vezes, a única fonte de consulta utilizada pelo professor de Ciências do ensino fundamental para a preparação de suas aulas. Quando analisamos os conteúdos de Astronomia presentes nos livros didáticos aprovados no Programa Nacional do Livro Didático de 2008 e que, teoricamente, são os

  9. Ensino de Astronomia no Ensino Médio

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Albrecht, E.; Voelzke, M. R.

    2008-09-01

    O presente trabalho de intervenção foi realizado junto a Escola Estadual Colônia dos Pescadores na cidade de Caraguatatuba, com três turmas do terceiro ano do Ensino Médio, envolvendo 119 alunos, 40 na turma A, 40 na turma B e 39 na turma C. A fase inicial foi composta de um questionário de vinte questões dissertativas e objetivas para diagnosticar nos educandos os conceitos prévios sobre Astronomia e, partindo destes realizar uma interferência nas classes envolvidas utilizando metodologias diferentes sendo elas: a tradicional, onde o professor é um repassador de informações, fazendo uso exclusivo de lousa e giz; a segunda também de forma tradicional, porém com auxílio de multimídia para desenvolvimento das aulas e a terceira sob forma de seminários, elaborados e apresentados pelos educandos, no qual o educador faz apenas as intervenções necessárias. Ao final do trabalho as mesmas turmas da fase inicial orientadas pelo mesmo professor responderam novamente ao questionário proposto para diagnosticar dentre as três metodologias utilizadas qual apresentou melhores resultados, sendo os iniciais comparados com os finais. Quando questionados a respeito do significado de Astronomia observou-se inicialmente que os acertos na turma A foram de 100%,turma B: 64%, turma C: 84%, após a intervenção os acertos foram: 100%, 97% e 85% respectivamente, demonstrando claramente uma absorção de conhecimentos. Quando interrogados sobre quantos planetas você acha que existem em nosso Sistema Solar? os acertos foram: turma A: 39%, turma B: 48% e turma C: 46%, após o desenvolvimento do trabalho os acertos foram 94%, 97% e 90% respectivamente.Dentro das respostas obtidas observa-se que a metodologia tradicional com o auxílio de multimeios, aplicada na turma B, demonstrou melhores resultados, foi a mais significativa.

  10. Diferentes metodologias aplicadas ao ensino de astronomia no Ensino Médio

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Albrecht, E.; Voelzke, M. R.

    2009-03-01

    O presente trabalho de intervenção foi realizado junto à Escola Estadual Colònia dos Pescadores na cidade de Caraguatatuba, com très turmas do terceiro ano do Ensino Médio, envolvendo 119 alunos com idades entre 16 e 19 anos. A fase inicial foi composta de um questionário de vinte questíes dissertativas e objetivas, aplicado pelo professor titular da sala, que era o mesmo nas très turmas, para diagnosticar nos educandos os conceitos prévios sobre Astronomia e, partindo destes realizar um trabalho de intervenção nas classes envolvidas utilizando, em cada uma, metodologias diferentes: (A) sob forma de seminários, elaborados e apresentados pelos educandos, no qual o educador faz apenas as intervençíes necessárias; (B) de forma tradicional, com auxílio de multimídias para desenvolvimento das aulas e a terceira (C) tradicional, fazendo uso exclusivo de lousa e giz. Ao final do trabalho os alunos responderam novamente o questionário inicial para diagnosticar dentre as très metodologias utilizadas qual apresentou melhores aplicaçíes, os resultados iniciais foram comparados com os finais. Quando questionados a respeito do significado de Astronomia observou-se inicialmente que os acertos na turma A foram de 100%, turma B: 64%, turma C: 84%, após a intervenção os acertos foram: 100%, 97% e 85% respectivamente, demonstrando que houve um avanço significativo na turma B, a turma A manteve seu índice e a turma C evoluiu, porém não tanto quanto a B. Quando interrogados sobre quantos planetas vocè acha que existem em nosso Sistema Solar? os acertos foram: turma A: 39%, turma B: 48% e turma C: 46%, após o desenvolvimento do trabalho os acertos foram 94%, 97% e 90% respectivamente. Dentro das respostas obtidas observa-se que a metodologia tradicional com o auxílio de multimeios, aplicada na turma B, demonstrou melhores resultados, sendo a mais significativa. Outra conclusão muito importante é que apesar de o tema Astronomia ser amplamente

  11. Duodenum inclusion in alimentary transit for preventing or correcting nutritional deficiencies resulting from Roux-en-y gastric bypass in obesity treatment.

    PubMed

    Ceneviva, Reginaldo

    2016-01-01

    Nutritional and metabolic complications can develop after Roux-en-Y gastric bypass (RYGB) when there is an exaggerated response to the anatomical and functional changes or when there is inadequate nutritional supplementation. Severe malnutrition is rare, but deficiencies of vitamin B12, iron, calcium and thiamin, metabolic bone disease and gallstones are common after RYGB. Shortage of vitamin B12, iron, calcium and also cholelithiasis are caused at least partially by excluding the duodenum and proximal jejunum from food transit. We designed a new procedure, with the maintenance of the duodenum and proximal jejunum in the gastrointestinal transit through interposition of jejunal loop, as a primary operation to prevent such deficiencies or as corrective surgery for severe malnutrition after RYGB with failure in responding to conservative treatment. Complicações nutricionais e metabólicas podem se desenvolver após a derivação gástrica em Y de Roux (DGYR) quando há uma resposta exagerada às mudanças anatômicas e funcionais ou quando há suplementação nutricional inadequada. A desnutrição grave é rara, mas deficiências de vitamina B12, ferro, cálcio e tiamina, doença óssea metabólica e cálculos biliares são comuns após a DGYR. Dessas deficiências mencionadas, a de vitamina B12, de ferro, de cálcio e também a colelitíase, são causadas, ao menos parcialmente, pela exclusão do duodeno e jejuno proximal. Um novo procedimento com a manutenção do duodeno e do jejuno proximal no trânsito gastrointestinal, mediante interposição de alça jejunal, foi idealizado como operação primária para prevenir essas deficiências ou como cirurgia corretiva de desnutrição grave após DGYR com falha na resposta a exaustivas tentativas de tratamento conservador. PMID:27275596

  12. ANÁLISE DA INSERÇÃO DOS TEMAS DE HUMANIDADES E ÉTICA, COM METODOLOGIA DE APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS, EM CURRICULO MÉDICO INTEGRADO EM ESCOLA PÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL, BRASIL

    PubMed Central

    Novaes, Maria Rita Carvalho Garbi; Novaes, Luiz Carlos Garcez; Guilhem, Dirce; Lolas, Fernando; Silveira, Carla; Guiotti, Murilo

    2009-01-01

    Objetivo Realizar uma análise da inserção da ética e humanidades no currículo do Curso de Medicina da Escola Superior em Ciências da Saúde - ESCS, escola pública do Distrito Federal, Brasil, de forma a contribuir com o processo de gestão curricular. Metodologia O Estudo é de coorte e documental. Foram pesquisados 37 termos relacionados à ética e 36 referentes à humanização nos objetivos educacionais e conteúdo dos módulos temáticos, habilidades e atitudes e interação ensino-serviço-comunidade, de 1a a 4a série e no programa do internato no currículo (ano 2006) e no projeto pedagógico do Curso de Medicina (2001). Resultados Maior inserção da humanização, ética e bioética na 1a e 2a série, quando comparado à inserção na 3a e 4a série e no internato, (IC95%-α=0,034, pvalue=0,007). Unidade de habilidades e atitudes: freqüência das 3 temáticas no currículo da 1a a 4a séries (IC95%-α=0,026, pvalue=0,013). Quando comparada a inserção entre o internato e as quatro primeiras séries, observa-se que nestas a inserção da temática humanização é superior (IC95%-α=0,042, pvalue=0,029). Conclusão O currículo desenvolvido no ano de 2006 na ESCS apresentou correlação com o projeto pedagógico do curso e contemplou a temática de forma abrangente, em todas as séries e internato. PMID:20396594

  13. Discos de acresção em sistemas Be-X

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Lopes de Oliveira, R.; Janot-Pacheco, E.

    2003-08-01

    Alguns fenômenos de outbursts em Be-X sugerem a existência, mesmo que temporária, de um disco de acresção quando da passagem do objeto compacto pelo periastro orbital. Neste trabalho avaliamos a possibilidade de formação do disco de acresção em sistemas Be+estrela de neutrons e Be+anã branca, e a influência da excentricidade orbital na ocorrência deste fenômeno. Utilizamos a expressão analítica para o momento angular específico da matéria constituinte de um meio em expansão lenta, como é o caso do disco circunstelar das estrelas Be, proposta por Wang(1981), sob a condição básica de que o raio de circularização deva ser maior do que o raio de Alfvén. Concluímos que existe um limite para o período orbital do sistema acima do qual não é possível a formação do disco de acresção, e que este valor aumenta para sistemas com excentricidade orbital maior.

  14. Eventos de Desconexao na Cauda de Plasma do Cometa P/Halley

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Voelzke, M. R.; Fahr, H. J.

    2001-08-01

    Observacoes cometárias e de vento solar sao comparadas com o propósito de determinar-se as condicoes do vento solar associadas aos eventos de desconexao (DEs) observados em caudas de plasma cometárias. Os dados cometários sao provenientes do The International Halley Watch Atlas of Large-Scale Phenomena. A análise visual sistemática das imagens do atlas revelou, entre outras estruturas morfológicas, 47 DEs ao longo da cauda de plasma do P/Halley. Estes 47 DEs registrados em 47 imagens distintas permitiram a descoberta de 19 origens de DEs, ou seja, o tempo em que as desconexoes iniciaram foi calculado. Os dados do vento solar sao provenientes de medidas feitas in situ pela sonda espacial IMP-8, as quais foram usadas para elaborar a variacao da velocidade do vento solar, densidade e pressao dinâmica durante o intervalo analisado. O presente trabalho compara as atuais teorias conflitantes, baseadas nos mecanismos de formacao, com o intuito de explicar o fenômeno cíclico dos DEs, ou seja, os efeitos de producao iônica, os efeitos de pressao e os efeitos de reconexao magnética sao analisados. Para cada uma das 19 origens de DEs comparou-se a densidade com a respectiva velocidade do vento solar com o intuito de determinar-se uma possível correlacao entre estas origens e os efeitos de pressao dinâmica. Quando da ocorrência de 6 origens de DEs o IMP-8 nao realizou medidas, nos outros 13 casos 10 origens (77%) mostraram uma anticorrelacao entre velocidade e densidade e apenas 3 (23%) revelaram uma tendência similar entre velocidade e densidade. Portanto, a análise inicial demonstra uma fraca correlacao entre as origens dos DEs e os efeitos de pressao.

  15. Incorporando a variabilidade no processo de identificação do modelo de máximo global no Grade of Membership (GoM): considerações metodológicas

    PubMed Central

    Guedes, Gilvan Ramalho; Siviero, Pamila Cristina Lima; Caetano, André Junqueira; Machado, Carla Jorge; Brondízio, Eduardo

    2012-01-01

    A disponibilidade de bases de dados cada vez mais complexas e multidimensionais é um dos principais motivadores para o aumento do número de estudos que utilizam análises multivariadas baseadas em lógica de conjuntos nebulosos. Apesar da disseminação do método Grade of Membership nos trabalhos empíricos brasileiros da área de ciências sociais e saúde, questões relativas à identificabilidade e estabilidade dos parâmetros finais estimados pelo programa GoM 3.4 não foram suficientemente aprofundadas. Dada a relevância de se obterem parâmetros únicos e estáveis, Guedes et al. (2010) propuseram um procedimento empírico para localizar um modelo de máximo global (MG) com parâmetros estáveis. Entretanto, seu localizador de MG não incorpora qualquer medida de variabilidade. Neste artigo, tal limitação é contornada por meio da utilização de uma estatística de ponderação – Máximo Global Ponderado (MGP) – semelhante ao coeficiente de variação. Esse indicador busca não penalizar de forma desproporcional situações nas quais os desvios médios, apesar de diferentes de zero, são muito pequenos. Apresentam-se evidências de que o localizador MGP reduz a distância do modelo identificado à real estrutura latente dos dados em análise, quando comparados ao modelo identificado pelo localizador não ponderado, MG. PMID:23293402

  16. Serum Potassium Levels Inversely Correlate with D-Dimer In Patients with Acute-Onset Atrial Fibrillation.

    PubMed

    Cervellin, Gianfranco; Bonfanti, Laura; Picanza, Alessandra; Lippi, Giuseppe

    2014-12-01

    D-dímero são frequentemente aumentada em pacientes com fibrilação atrial (FA) em comparação com indivíduos em ritmo sinusal. A hipocalemia desempenha um papel em várias doenças cardiovasculares, mas pouco se sabe sobre a associação com FA. Objetivo: As concentrações de D-dímero encontram-se frequentemente aumentadas em pacientes com FA, quando comparados com indivíduos em ritmo sinusal. A hipopotassemia desempenha um papel importante nas doenças cardiovasculares, porém, pouco é conhecido sobre sua associação com a FA. O objetivo deste estudo foi investigar a correlação entre os níveis séricos de D-dímero e potássio na FA aguda (FAA). Métodos: Para investigar a existência de uma potencial correlação entre os níveis séricos de potássio e D-dímero em pacientes com FAA, realizamos uma revisão retrospectiva de dados clínicos e laboratoriais relacionados a todas as visitas ao departamento de emergência devido à FAA, no ano de 2013. Resultados: Entre os 271 pacientes com FAA, aqueles com hipopotassemia (n = 98) mostraram aumento significativo nos níveis de D-dímero, quando comparados com pacientes com concentrações normais de potássio (139 versus 114 ng/mL, p = 0,004). A taxa de pacientes com níveis de D-dímero excedendo o valor limiar de diagnóstico foi maior no grupo de pacientes com hipopotassemia, quando comparado com o grupo de pacientes com concentrações normais de potássio (26,5% versus 16,2%; p = 0,029). Detectamos uma correlação inversa e altamente significativa entre os níveis séricos de potássio e D-dímero (r = -0,21; p < 0,001), até mesmo após ajuste para idade e sexo (coeficiente beta -94,8; p = 0,001). O risco relativo de um valor positivo de D-dímero estar relacionado à hipopotassemia foi de 1,64 (95% CI, 1,02 to 2,63; p = 0,040). A correlação permaneceu estatisticamente significativa em pacientes livres de medicamentos hipertensivos (r = -0,25; p = 0,018), porém não nos pacientes em tratamento

  17. Excitação e fotoabsorção de moléculas interestelares no ultra violeta

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Rodrigues, A. M. F.; Boechat-Roberty, H. M.; Souza, G. B.; Turci, C. C.

    2003-08-01

    O estudo dos processos de excitação, fotoabsorção e ionização molecular nas nuvens interestelar, permite a análise dos processos químicos, como a formação e destruição de moléculas, até mesmo daquelas que dão origem à vida. Acredita-se que as moléculas como CS2, NH3, CO2 e N2O estão presentes nas nuvens onde são formadas as estrelas e seus sistemas planetários. Estas moléculas são congeladas na superfície de objetos densos, como aqueles encontrados na Nuvem de Oort do nosso Sistema Solar. Quando esses objetos (cometas) desprendem-se dessa região, aproximam-se do Sol, sofrem a interação da radição Ultra Violeta (UV), passam à fase gasosa e são bombardeados por íons e elétrons presentes nos ventos solares. Obtivemos os espectros de fotoabsorção do CS2, NH3 e N2O na faixa do UV, convertendo espectros de Perda de Energia de Elétrons, medidos no menor ângulo de espalhamento e na energia de impacto de 1000 eV. Destes espectros determinamos os valores de força de oscilador (f) e de seção de choque absolutas na faixa de 500 a 2000 Å. Para tal, estudamos e comparamos dois diferentes métodos de conversão. Neste trabalho também geramos muitos dados moleculares como, valores absolutos de seção de choque elástica em função do ângulo de espalhamento e a distribuição de força do oscilador generalizada (df/dE) em função da energia de excitação para diversos ângulos de espalhamento. Comparando nossos espectros de fotoabsorção com o espectro da atmosfera de Júpiter, obtido pelo Telescópio Espacial Hubble, logo após o impacto do cometa Shoemaker-Levy 9, confirmamos a presença do CS2 e da amônia.

  18. Hyperglycemia, hypoglycemia and glycemic variability in the elderly: a fatal triad?

    PubMed

    Monami, Matteo; Aleffi, Sara

    2016-01-01

    paradosso potrebbe essere spiegato dal fatto che spesso, in passato, per ottenere un miglioramento glicometabolico si sono utilizzati farmaci ipoglicemizzanti in grado di aumentare il rischio ipoglicemico, la variabilità glicemica ed il peso corporeo. In conclusione, il miglioramento del compenso glicemico, specie nel paziente anziano, dovrebbe essere ottenuto, quando possibile, con farmaci a basso rischio ipoglicemico e non inducenti aumenti di peso, per evitare gli effetti negativi di ipoglicemie e eccessive fluttuazioni della glicemia che di per sé costituiscono dei fattori di rischio cardiovascolari al pari dell'iperglicemia. In questo articolo, si esplorerà l'ipotesi che iperglicemia, ipoglicemia e variabilità glicemica costituiscano una triade fatale in grado di aumentare morbilità e mortalità nei pazienti affetti da diabete mellito. PMID:27374040

  19. Estudo exaustivo e sistemático de erros nas provas da olimpíada brasileira de astronomia - resultados preliminares

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Oliveira, F. S.; Canalle, J. B. G.; Villas da Rocha, J. F.

    2003-08-01

    A Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) contou, em sua quinta edição, com a participação de mais de 60 mil alunos dos ensinos fundamental e médio de praticamente todo o território nacional. Uma das formas de controle que a sua coordenação nacional possui sobre a correção, levada a cabo pelos professores que as aplicaram, é a do envio, por parte destes professores, das 10 melhores provas de cada um dos três níveis nos quais a Olimpíada é realizada. Assim, e dado ao caráter discursivo das provas da Olimpíada, a sua coordenação nacional dispõe de um vasto acervo sobre as concepções, certas ou erradas, dos alunos que dela participaram. Este conjunto de dados jamais fora explorado até o presente trabalho que pretende ser, neste sentido, inaugural. Nas provas dos níveis I e II da V OBA, que abrangem todo o conjunto do ensino fundamental, uma das questões versava sobre a noção que os alunos tinham sobre como os habitantes da Terra situam-se sobre sua superfície. Fizemos um estudo sistemático das respostas a esta questão. Primeiramente, todas as modalidades de erros foram levantadas; em seguida, realizamos uma distribuição por idade tanto do índice de acerto como da ocorrência e da distribuição de cada erro. Como resultado, obtivemos que, em ambos os níveis: 1) as concepções errôneas não se apresentam distribuídas aleatoriamente; 2) há uma concentração no tipo de erro apresentado; 3) há uma tendência de progressivo acerto com relação à idade quando os dados são considerados em termos nacionais; 4) esta tendência nacional é fraca ou mesmo não é verificada em alguns dos estados com maior patamar de acerto.

  20. Projeto do sistema anti-ressonante da fiação dos transdutores para o detector Mario Schenberg

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Vieira, S. J.., Jr.; Melo, J. L.

    2003-08-01

    O detector de ondas gravitacionais Mario Schenberg está sendo projetado e construído pelo grupo Gráviton. Sua construção está ocorrendo no Laboratório de Estado Sólido e Baixas Temperaturas (LESBT) da Universidade de São Paulo, na cidade de São Paulo. Esse detector possui uma massa ressonante esférica de cobre-alumínio, com 65 cm de diâmetro, pesando aproximadamente 1150 Kg, suspensa por um sistema de isolamento vibracional, que se encontra em fase de testes preliminares. A real eficácia desse sistema, entretanto, só poderá ser comprovada quando o detector estiver aparelhado com, pelo menos, um transdutor eletromecânico de altíssima sensibilidade acoplado à massa ressonante. Neste momento, não só este sistema de isolamento vibracional será posto em teste, como o do projeto da fiação que transporta os sinais de microondas até os transdutores e destes para a pré-amplificação. Apesar dessa fiação ter sido projetada para não apresentar nenhum contato com a superfície esférica da antena, de maneira a não haver nenhuma transmissão de ruído vibracional do laboratório para esta, deve-se minimizar o ruído microfônico produzido nessa fiação por oscilações mecânicas, uma vez que ela não utiliza nenhum sistema de isolamento vibracional. Com o intuito de resolver este problema, projetamos uma estrutura, formada por pequenos cilindros conectados por barras, a qual não terá nenhuma ressonância mecânica na faixa de freqüências de interesse para detecção (3000 - 3400 Hz). Desta forma, as vibrações nessa faixa não serão amplificadas. O projeto foi feito usando iterativamente, de maneira a otimizar os resultados obtidos, o programa de elementos finitos Msc/Nastran. Através de simulações feitas neste programa, determinamos os parâmetros geométricos ideais a serem utilizados, os quais proporcionam a maior região espectral de interesse livre de ressonâncias.

  1. Simulação de ejeções de massa coronal

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Corsini, M. A.; Silva, A. V. R.

    2003-08-01

    Ejeções de massa coronal (EMC) são bolhas gigantes de gás permeadas por campos magnéticos que são ejetadas do Sol durante um período de várias horas. Caso estas ejeções atinjam a Terra, geralmente, causam uma série de distúrbios às comunicações de longa distância e navegação, além de danos a satélites e transformadores. Portanto, é desejável que sejamos capazes de prever quando estas ejeções atingirão a Terra. Para tanto, é necessário um bom entendimento dos mecanismos causadores das ejeções e, principalmente, de como se dá a propagação das EMC e sua interação com o vento solar que permeia o meio interplanetário. Nesse sentido foi desenvolvido um programa computacional para resolver as equações MHD (Magneto-Hidro-Dinâmica) que regem a evolução das EMC. Primeiramente foram estabelecidas as condições necessárias para descrever o vento solar, no estado estacionário, que permeia todo o meio interplanetário. Num primeiro momento, resolveu-se o sistema de equações para o caso do vento isotérmico, conhecida como a solução de Parker, a fim de testarmos o modelo. Então, foi considerado o caso do vento solar com temperatura variável no meio interplanetário. Este resultado foi utilizado como a base de nosso sistema em seu instante inicial. Posteriormente foram feitas as considerações necessárias para descrever a propagação da Ejeção de Massa Coronal. As EMC foram simuladas como um aumento de densidade e temperatura local na coroa solar. A órbita e a posição da Terra foram incluídas no sistema. Os dados gerados possibilitaram uma análise da evolução da EMC pelo meio interplanetário até encontrar-se com a Terra. Os perfis de densidade e temperatura a 1 Unidade Astronômica são comparados com os dados de satélites reportados na literatura.

  2. Sobre a largura da última superfície de espalhamento

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Nobre, M. A. S.; Pires, N.; Lima, J. A. S.

    2003-08-01

    De acordo com o modelo do "Big-Bang", no universo primordial a matéria estava em equilíbrio térmico com a radiação. Com a expansão a temperatura da radiação cai. Quando a temperatura chega em torno dos 4.000K, os espalhamentos diminuem, começando a recombinação dos prótons e elétrons em Hidrogênio neutro (era conhecida como da recombinação). Ao final da recombinação, os fótons se propagam livremente sofrendo, em princípio, somente os efeitos do "redshift" cosmológico. Esses fótons nos alcançam hoje como a radiação cósmica de fundo (RCF), e parecem vir de uma superfície esférica ao nosso redor, tal que o raio dela é a distância que ele viajou desde seu último espalhamento na época da recombinação. Naturalmente, esse processo não ocorreu abruptamente, implicando na existência de uma largura no espaço dos "redshifts" que deve depender do modelo cosmológico específico e dos processos físicos considerados. Neste trabalho analisamos os efeitos de diferentes modelos - a saber, aqueles com decaimento do vácuo L(t), criação de matéria, quintessência e gás de Chaplygin - sobre a última superfície de espalhamento da RCF, em particular sua largura e a função visibilidade, que determina a probabilidade de um fóton ter tido seu último espalhamento num "redshift" z. No caso particular dos modelos com decaimento do vácuo, existe uma forte dependência da função visibilidade com L(t). Tais efeitos poderão ser testados através da análise dos resultados de experimentos mais precisos que estão atualmente em andamento, como por exemplo, o WMAP.

  3. A distribuição de velocidades na linha de visada em galáxias barradas vistas de face

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Gadotti, D. A.; de Souza, R. E.

    2003-08-01

    Com o objetivo de realizar um estudo cinemático da componente vertical de barras em galáxias, obtivemos espectros de fenda longa de alta razão S/N ao longo dos eixos maior e menor de 14 galáxias barradas vistas de face, nos telescópios de 1.52m do ESO em La Silla, Chile, e de 2.3m do Steward Observatory em Kitt Peak, Arizona. Estes dados nos permitiram determinar a distribuição de velocidades das estrelas ao longo do eixo vertical das barras e discos destes sistemas, tanto no centro como em pontos que distam cerca de 5 e 20 segundos de arco do núcleo, correspondendo a distâncias de cerca de 0.7 e 2.8 kpc, respectivamente. Desta forma, a variação radial da distribuição de velocidades também pôde ser avaliada. Este tipo de análise tem raros exemplos na literatura por ser caro em termos de tempo de telescópio. Entretanto, é de fácil justificativa, considerando que traz novas informações que podem ser utilizadas para aperfeiçoar modelos teóricos acerca da formação e evolução de galáxias. Um algoritmo por nós desenvolvido foi utilizado para obter as distribuições de velocidades como Gaussianas generalizadas (polinômios de Gauss-Hermite), o que traz um ingrediente a mais neste tipo de estudo que, tradicionalmente, se utiliza de Gaussianas puras, uma hipótese nem sempre razoável. Apresentaremos os resultados deste trabalho, que incluem um diagnóstico para a identificação de barras recém formadas, e testes para o modelo isotérmico de discos. Mostraremos que: (i) a escolha das estrelas padrão em velocidade, e dos parâmetros da Gaussiana, deve ser muito bem justificada já que tem influência significativa nos resultados; (ii) muitas galáxias apresentam uma depressão na dispersão de velocidades na região central, que pode estar associada a um disco interno; e (iii) a dispersão de velocidades é constante ao longo da barra, nos eixos maior e menor, mas cai substancialmente quando se passa da barra para o disco.

  4. A cosmologia no ensino da geografia

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Santos, S. C.; Chiaradia, A. P. M.

    2003-08-01

    O principal objetivo deste trabalho é auxiliar o professor de Geografia em sala de aula no ensino de tópicos relacionados com a Cosmologia. A idéia deste trabalho surgiu quando foi constatado que o professor de Geografia tem dificuldades de ensinar este tópico. Esta constatação foi feita por uma das autoras ao lecionar este tópico no ensino fundamental e em discussões com outros professores de Geografia. Da mesma maneira que ocorria desde os tempos mais antigos, os alunos têm muito interesse em conhecer os fenômenos que ocorrem no Cosmo, porém os livros didáticos de Geografia utilizados em sala de aula não são ricos em informações sobre este assunto. Assim, o professor de Geografia tem poucas informações para discutir este assunto em sala de aula e não dá a devida importância para este tópico. Então, foi desenvolvido um material de apoio para professores de Geografia sobre a origem do Universo, sua evolução e seu possível futuro evolutivo segundo as mais recentes teorias, com base em perguntas feitas pelos alunos de ensino fundamental e as informações trazidas nos livros didáticos Não cabe a este material inovar e tão pouco trazer uma metodologia de ensino de Cosmologia. Neste material o professor de Geografia pode encontrará um banco de informações, que constitui no estabelecimento de conceitos, teorias e hipóteses, sobre a Cosmologia, em linguagem simples e de fácil entendimento. Para desenvolvê-lo, foram feitas pesquisas não exaustivas em livros e revistas científicas, compilação e discussão em forma cronológica das teorias aceitas sobre modelos cosmológicos. Portanto, este material será apresentado neste trabalho.

  5. Intermitência alfvênica gerada por caos na atmosfera solar e no vento solar

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Rempel, E. L.; Chian, A. C.-L.; Macau, E. E. N.; Rosa, R. R.

    2003-08-01

    Dados medidos no vento solar rápido proveniente dos buracos coronais revelam que os plasmas no meio interplanetário são dominados por flutuações Alfvênicas, caracterizadas por uma alta correlação entre as variações do campo magnético e da velocidade do plasma. As flutuações exibem muitas características esperadas em turbulência magneto-hidrodinâmica totalmente desenvolvida, tais como intermitência e espectros contínuos. Contudo, os mecanismos responsáveis pela evolução de turbulência Alfvênica intermitente não são completamente compreendidos. Neste trabalho a teoria de caos é usada para explicar como sistemas Alfvênicos, modelados pela equação Schrödinger não-linear derivativa e pela equação Kuramoto-Sivashinsky, podem se tornar fortemente caóticos à medida em que parâmetros do plasma são variados. Pequenas perturbações no parâmetro de dissipação podem fazer com que o sistema mude bruscamente de um regime periódico, ou fracamente caótico, para um regime fortemente caótico. As séries temporais das flutuações do campo magnético nos regimes fortemente caóticos exibem comportamento intermitente, em que fases laminares ou fracamente caóticas são interrompidas por fortes estouros caóticos. É mostrado que o regime fortemente caótico é atingido quando as soluções periódicas ou fracamente caóticas globalmente estáveis interagem com soluções do sistema que são fortemente caóticas, mas globalmente instáveis. Estas soluções globalmente instáveis são conjuntos caóticos não-atrativos conhecidos como selas caóticas, e são responsáveis pelos fortes estouros nos regimes intermitentes. Selas caóticas têm sido detectadas experimentalmente em uma grande variedade de sistemas, sendo provável que elas desempenhem um papel importante na turbulência intermitente observada em plasmas espaciais.

  6. Alterações Induzidas Pelo Exercício no Número, Função e Morfologia de Monócitos de Ratos

    PubMed Central

    GUERESCHI, MARCIA G.; PRESTES, JONATO; DONATTO, FELIPE F.; DIAS, RODRIGO; FROLLINI, ANELENA B.; FERREIRA, CLÍLTON KO.; CAVAGLIERI, CLAUDIA R.; PALANCH, ADRIANNE C.

    2008-01-01

    O propósito desse estudo foi verificar as alterações histofisiológicas em monócitos e macrófagos induzidas por curtos períodos de exercícios. Ratos Wistar (idade = 2 meses, peso corporal = 200g) foram divididos em sete grupos (n=6 cada): controle sedentário (C), grupos exercitados (natação) na intensidade leve por 5 (5L), 10 (10L) e 15 minutos (15L), e grupos exercitados em intensidade moderada por 5 (5M), 10 (10M) e 15 minutes (15M). Na intensidade moderada os animais carregaram uma carga de 5% do peso corporal dos mesmos em seus respectivos dorsos. Os monócitos sangüíneos foram avaliados quanto à quantidade e morfologia e os macrófagos peritoneais foram analisados quanto à quantidade e atividade fagocitária. Os dados foram analisados usando ANOVA e Tukey’s post hoc test (p ≤ 0,05). Os grupos de intensidade leve e 5M apresentaram aumento nos níveis dos monócitos quando comparados com o controle. Foi observado aumento na área celular dos monócitos para os grupos 5L, 10L, 5M e 10M; a área nuclear aumentou para os grupos 10L, 5M e 10M em comparação com o controle. Houve aumento nos macrófagos peritoneais para os grupos 15L, 10M, 15M e diminuição no grupo 5M. A capacidade fagocitária dos macrófagos aumentou nos grupos de intensidade leve e para o grupo 10M. O exercício realizado por curtos períodos modulou o número e função dos macrófagos, assim como o número e morfologia dos monócitos, sendo tais alterações dependentes da intensidade. A soma das respostas agudas observadas nesse estudo pode exercer um efeito protetor contra doenças, podendo ser utilizada para a melhora da saúde e qualidade de vida.

  7. Camões e a cosmogonia

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Costa, J. M.

    2003-08-01

    Os Lusíadas, escrito por Luis de Camões em 1572, é um poema épico renascentista e a visão Cosmogônica do autor é apresentada, principalmente, no último canto do poema, quando Tétis mostra ao Gama a Máquina do Mundo. A Cosmogonia de Camões neste poema reflete uma visão de uma época de transição, que ainda não incorporou os elementos da revolução Copernicana. É uma visão Grego- Ptolomaica e também medieval. O poeta guia-se pela tradução e notas feita por Pedro Nunes, inventor do Nonio, do Tratado da Esfera "De Sphaera" do Astrônomo Inglês John Holywood, mais conhecido pelo nome latinizado de Johannes Sacrobosco. Outra provável fonte de Camões, de acordo com Luciano Antonio Pereira da Silva em Astronomia de os Lusíadas, é o "Theoricae novae Planetarum" (1460) do astrólogo Alemão Jorge Purbáquio (1423 - 1461). A Astronomia de Os Lusíadas representa a ciência do tempo de Camões. Camões nunca emprega a palavra constelação e seu catálogo é bastante completo. A Máquina do Mundo tem a Terra no centro. Em redor, em círculos concêntricos, a lua (Diana), Mercúrio, Vênus, o Sol (Febo), Marte, Júpiter e Saturno. Envolvendo estes astros tem o firmamento seguido pelo "Céu Áqueo" ou cristalino, depois o 1o Móbil, esfera que arrasta todas as outras consigo. Este trabalho, multidisciplinar, serve tanto para ensinar aos alunos da Física como das Ciências Humanas, a concepção de mundo do renascimento de uma forma belamente poética em versos decassílabos Este trabalho também ajuda na apreciação do maior clássico da língua portuguesa e mostra como as Ciências e as artes, em geral, estão correlacionadas e refletem a visão de mundo da época em que foi produzida.

  8. Determinação de regiões de órbitas diretas estáveis ao redor da Lua

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    de Melo, C. F.; Winter, O. C.; Vieira Neto, E.

    2003-08-01

    Neste Trabalho estamos investigando regiões do sistema Terra-Lua que contêm órbitas diretas estáveis ao redor da Lua visando a utilização destas órbitas em futuras missões de veículos espaciais como alternativas de trajetórias com baixo custo de manutenção. Adotando-se o problema restrito de três corpos, Terra-Lua-partícula, a localização e a extensão destas regiões de estabilidade foram investigadas numericamente considerando como estável toda órbita que permanece ao redor a Lua por, no mínimo, 1000 dias com energia de dois corpos da partícula em relação à Lua negativa. A estabilidade de tais regiões está associada a duas famílias de órbitas periódicas simples H1 e H2 e a órbitas quase-periódicas associadas a elas. Uma vez identificadas as regiões de estabilidade passamos a analisá-las introduzindo, paulatinamente, outras interações relevantes ao sistema como as perturbações do Sol (via problema restrito de quatro corpos), das marés, da pressão de radiação e do achatamento terrestre. Os resultados encontrados até o momento mostram que a perturbação do Sol é a única que reduz significativamente o tamanho das regiões de estabilidade. Também estamos investigando o comportamento de tais regiões quando características intrínsecas do sistema como as excentricidades das órbitas da Terra e da Lua e a inclinação da órbita Lua são consideradas. Com este estudo estamos reunindo informações que nos permitirão compreender a evolução das regiões de estabilidade no sistema Terra-Lua, bem como estabelecer parâmetros adequados para a utilização das trajetórias estáveis em futuras missões espaciais. Agradecimentos: Este projeto conta com o apoio do CNPq, da Capes e da Fapesp.

  9. Uma análise do fenômeno “alternância de línguas” na fala de bilíngues intermodais (Libras e Português)

    PubMed Central

    de Sousa, Aline Nunes; de Quadros, Ronice Müller

    2013-01-01

    Um interessante fenômeno lingüístico presente nas interações das pessoas bilíngues é a alternância de línguas. Neste trabalho, estamos investigando a alternância entre a língua portuguesa oral e a língua de sinais brasileira – Libras, numa mesma cadeia enunciativa, com o objetivo de identificar e analisar o uso dessa alternância na fala de uma criança e de um adulto (ambos ouvintes, filhos de pais surdos), interagindo em uma situação de bilinguismo intermodal, com interlocutores surdos e ouvintes. A alternância de línguas, nesse caso, ocorre quando se para de falar em português e se alterna para sinalizar. O presente trabalho se caracteriza como um estudo inicial, com análise qualitativa de dados. Fazem parte do nosso corpus nove sessões de interações em Libras e em português oral, gravadas em vídeo, que fazem parte do Projeto Desenvolvimento Bilíngue Bimodal da UFSC. Os dados revelam que as características da alternância de línguas pelo adulto e pela criança parecem ter semelhanças e diferenças. O sujeito adulto parece ter feito um uso da alternância mais preocupado com o curso da interação. A criança, por sua vez, não parece tê-la usado com propósitos pragmáticos específicos. Quanto à extensão das alternâncias, pode-se perceber que tanto a criança quanto o adulto utilizaram enunciados maiores do que uma única palavra isolada. O papel dos interlocutores parece ter sido decisivo nas interações aqui investigadas – especialmente nas do adulto, já que a criança ainda está em processo de tomada de consciência do papel do interlocutor na interação. PMID:24379831

  10. Estudo de não gaussianidade nas anisotropias da RCF medidas Wmap

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Andrade, A. P. A.; Wuensche, C. A.; Ribeiro, A. L. B.

    2003-08-01

    A investigação do campo de flutuações da Radiação Cósmica de Fundo (RCF) pode oferecer um importante teste para os modelos cosmológicos que descrevem a origem e a evolução das flutuações primordiais. De um lado, apresenta-se o modelo inflacionário que prevê um espectro de flutuações adiabáticas distribuídas segundo uma gaussiana e, de outro, os modelos de defeitos topológicos (dentre outros) que descrevem um mecanismo para a geração de flutuações de isocurvatura que obedecem a uma distribuição não gaussiana. Este trabalho tem como objetivo caracterizar traços do modelo não gaussiano de campo misto (entre flutuações adiabáticas e de isocurvatura) nos mapas do Wilkinson Microwave Anisotropy Probe (WMAP). Simulações das anisotropias da RCF no contexto de mistura indicam traços marcantes na distribuição das flutuações de temperatura, mesmo quando consideradas pequenas contribuições do campo de isocurvatura (da ordem de 0.001). O efeito da mistura entre os campos resulta na transferência de potência de flutuações em escalas angulares intermediárias para flutuações em pequenas escalas angulares. Este efeito pode ser caracterizado pela relação entre as amplitudes dos primeiros picos acústicos no espectro de potência da RCF. Neste trabalho, investigamos a contribuição do campo de isocurvatura, no contexto de mistura, sobre as observações recentes da RCF realizadas pelo WMAP. As previsões do modelo de campo misto, uma vez confrontadas com as observações em pequenas escalas angulares, podem ajudar a revelar a natureza das flutuações primordiais.

  11. Desenvolvimento das câmeras de raios-X duros do satélite MIRAX

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Braga, J.; Rothschild, R.; Staubert, R.; Heise, J.; Remillard, R.; D'Amico, F.; Jablonski, F.; Mejía, J.; Carvalho, H.; Heindl, B.; Matteson, J.; Kendziorra, E.; Wilms, J.; in't Zand, J.; Kuulkers, E.

    2003-08-01

    O MIRAX (Monitor e Imageador de RAios-X) é um projeto de desenvolvimento de um pequeno satélite astronômico de raios-X (~200 kg, ~240 W). A estratégia básica da missão será observar continuamente (~9 meses por ano) a região central (~1000 graus2) do plano Galáctico e realizar estudos espectroscópicos de banda larga (2-200 keV) e alta sensibilidade de um grande conjunto de fontes através de imagens com resolução de ~6'. Isso proporcionará uma cobertura inédita do "espaço de descobertas" através da detecção, localização, identificação e estudo detalhado de fenômenos imprevisíveis, tais como transientes fracos de raios-X, novas rápidas de raios-X e bursts de raios gama, assim como o estudo de fontes com emissão persistente. Neste trabalho apresentamos o projeto das duas câmeras de raios-X duros (CXDs) do MIRAX, que irão operar na faixa de 10 a 200 keV. Cada CXD consistirá de um plano de detectores CZT (Cd0,9Zn0,1Te) de 0,5 mm de resolução espacial e 370 cm2 de área total, e de uma máscara codificada com elementos quadrados de 1,3 mm de lado e 0,5 cm de espessura. A máscara terá dimensões de 315 cm ´ 275 cm e será montada a 700 cm de distância dos detectores. Com essa configuração as CXDs terão 6' de resolução angular e, quando colocadas a um ângulo de 29° entre si, as duas câmeras propiciam um campo totalmente codificado de 39° ´ 6°12' e um campo total de 76° ´ 44°. Serão apresentadas simulações de observações da região do plano Galáctico com o conjunto formado pelas duas CXDs.

  12. Análise dos Conceitos Astronômicos Apresentados por Professores de Algumas Escolas Estaduais Brasileiras

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Voelzke, Marcos Rincon; Gonzaga, Edson Pereira

    2011-12-01

    A razão para o desenvolvimento deste trabalho baseia-se no fato de que muitos professores da Educação Básica (EB) não lidam com conceitos relacionados à astronomia, e quando o fazem eles simplesmente seguem livros didáticos que podem conter erros conceituais. Como é de conhecimento geral a astronomia é um dos conteúdos a serem ensinados na EB fazendo parte dos Parâmetros Curriculares Nacionais e das Propostas Curriculares do Estado de São Paulo, mas é um fato, que vários pesquisadores apontam, a existência de muitos problemas no ensino da astronomia. Com o propósito de minimizar algumas dessas deficiências foi realizado um trabalho de pesquisa com a utilização de questionários pré e pós pesquisa, para tanto foi desenvolvido um Curso de Extensão Universitária para professores da Diretoria de Ensino Regional (DE) que abrange Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra (no Estado de São Paulo) com os seguintes objetivos: levantar concepções alternativas; subsidiar os professores por meio de palestras, debates e workshops, e verificar o sucesso da aprendizagem após o curso, adotando-se como referência, para a análise dos resultados, os dicionários de Língua Portuguesa (FERREIRA, 2004) e Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica (MOURĀO, 1995). Portanto, dezesseis questões foram aplicadas antes e após o curso, assim pode-se verificar após a pesquisa que 100,0% dos professores sabiam os nomes das fases da Lua, 97,0% entenderam que o Sistema Solar é composto por oito planetas, 78,1% foram capazes de explicar como ocorre um eclipse lunar, um eclipse solar e um solstício, 72,7% sabiam como explicar a ocorrência das estações do ano; 64,5% explicaram corretamente a ocorrência do equinócio, 89,7% foram capazes de definir adequadamente o termo cometa; 63,6% definiram asteróide, 54,5% meteoro, 58,1% galáxia, e 42,4% planeta. Os resultados obtidos indicam uma aprendizagem significativa por parte dos participantes.

  13. On Ensino da Astronomia no Ensino Médio sob Diferentes Abordagens Metodológicas

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Voelzke, Marcos Rincon; Albrecht, Evonir

    2011-12-01

    O presente trabalho, sobre a intervenção de metodologias de ensino, foi desenvolvido na Escola Estadual Colônia dos Pescadores, na cidade de Caraguatatuba - SP, em três turmas do terceiro ano do Ensino Médio, perfazendo um total de 119 educandos, entre 16 e 19 anos. Antes de iniciar-se a intervenção, um questionário de vinte perguntas objetivas e dissertativas foi desenvolvido, aplicado pelo professor da classe, que ministrou as aulas correspondentes. Este questionário foi o mesmo em todas as três classes com o objetivo de diagnosticar o conhecimento prévio dos alunos sobre Astronomia. Começando a intervenção nas turmas, o professor envolvido usou três diferentes metodologias de ensino: (A) em forma de seminários, elaborados e apresentados pelos alunos, nos quais o professor fazia apenas as intervenções necessárias, (B) na forma tradicional, com a ajuda de multimídia para o desenvolvimento das aulas e a terceira (C) a tradicional, fazendo uso exclusivo de lousa e giz. No final do trabalho os alunos responderam o mesmo questionário novamente, de modo que os três métodos utilizados puderam ser comparados. Os resultados apresentados após a intervenção foram melhores que os resultados iniciais indicando a ocorrência de uma aprendizagem significativa. Quando os estudantes foram inicialmente questionados sobre quantos planetas existem no nosso sistema solar, a classe A obteve 39% de respostas certas, a classe B 48% e a classe C 46%, mas após o desenvolvimento das atividades, as classes obtiveram respectivamente 94%, 97 % e 90% de aproveitamento. No término do bimestre, foi sugerido aos educandos que elaborassem uma história em quadrinhos, a qual serviu para averiguar se os conceitos inicialmente observados foram alterados e se novos foram agregados. A análise das histórias foi dividida em três partes: Criatividade; Temas abordados; Emprego correto dos conceitos estudados. Ao final quatorze histórias foram confeccionadas. O aprendizado

  14. Analysis of astronomy knowledge of the students in the Federal Institute Sao Paulo

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Moraes, A. C.; Voelzke, M. R.

    2014-08-01

    Este trabalho é parte integrante da pesquisa de mestrado acadêmico em ensino de ciências. Nele, busca-se apresentar os resultados da pesquisa realizada entre os 106 alunos do curso superior de tecnologia em automação industrial do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo campus Cubatão, divididos em cinco turmas, duas no período matutino e três no período noturno. A análise dos resultados deste pré questionárioconstatou a falta de conhecimento básico dos discentes, sobre assuntos relacionados à astronomia, o que pode ser atribuído ao ineficiente processo de aprendizado pelo qual eles passaram tanto no ensino médio como no ensino fundamental, em escolas municipais, estaduais e particulares onde estudaram. No ensino de astronomia, têm-se diagnosticado constantemente diversas dificuldades conceituais tanto por parte de alunos como de professores de todas as áreas e níveis de ensino e poucos de fato a compreendem (ALBRECHT; VOELZKE, 2010). Demonstra-se as duas etapas concluídas do trabalho. A primeira etapa indica a análise dos conhecimentos prévios sobre conceitos astronômicos, através do questionário com 25 perguntas. A fim de corrigir as falhas constatadas, experimentalmente ministrou-se, externo ao conteúdo programático, um curso básico em astronomia, com diferentes estratégias de ensino, tais como, utilização de aulas expositivas dialogadas, recursos audiovisuais e palestras, para corrigir as dificuldades diagnosticadas. Essas estratégias de ensino se comprovaram adequadas às necessidades dos alunos e os conceitos foram finalmente compreendidos. Ao término do curso, completado o interstício de 120 dias, para caracterizar que houve a aprendizagem significativa, realizou-se uma nova pesquisa, quando, exatamente os mesmos 106 alunos responderam as mesmas 25 questões aplicadas na primeira etapa. Constata-se na segunda etapa, após análise, que em todas as questões, houve maior compreensão dos assuntos

  15. Observações das explosões cósmicas de raios gama GRB021004 e GRB021211 com o satélite HETE

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Braga, J.; Ricker, G.; Hurley, K.; Lamb, D.; Grew, G.; et al.

    2003-08-01

    O High Energy Transient Explorer (HETE) é o primeiro satélite inteiramente dedicado ao estudo das explosões cósmicas de raios gama (ECRGs). Lançado em 9 de outubro de 2000, o HETE possui instrumentação capaz de observar as ECRGs desde o UV até raios gama e localizá-las com precisão de ~ 1-10 minutos de arco. As localizações das ECRGs detectadas são disseminadas rapidamente (em alguns segundos) pela Internet através de uma rede de estações de recepção ao longo do equador. A participação brasileira nesse projeto se dá através da montagem e operação de uma estação de recepção em Natal, RN, e da participação na equipe científica da missão. Neste trabalho são apresentados resultados da observação pelo HETE de duas ECRGs: GRB 021004 e GRB 021211. A GRB021004 foi detectada em raios gama pelo HETE em 4 de outubro de 2002 e localizada em raios-X em apenas 48 s, quando a emissão de raios gama ainda estava se processando. A explosão, relativamente brilhante e longa, durou aproximadamente 100 s. Um transiente óptico de magnitude 15 foi detectado no local da explosão nove minutos após o evento, e observações realizadas após 7 horas determinaram um desvio para o vermelho de absorção de 1,6. O GRB021004 foi o burst mais bem observado até o momento e suas observações em vários comprimentos de onda têm sido fundamentais para o aprimoramento dos modelos de ECRGs. O GRB21211, um burst brilhante e rico em raios-X, foi detectado em 11 de dezembro de 2002 e localizado em raios-X em 22 s após o início do evento. A duração do burst foi de 2,3 s em altas energias (85 a 400 keV) e de 8,5 s em baixas energias (2 a 10 keV). Caso essa explosão não tivesse sido rapidamente localizada pelo HETE, ela teria sido classificada como "opticamente escura", já que o transiente óptico decaiu rapidamente de R < 14 a R»19 dentro dos primeiros 20 minutos e já estava mais fraco do que R»23 depois de 24 horas da ocorrência do burst. Ser

  16. Impact of long-term treatment with inhaled corticosteroids and bronchodilators on lung function in a patient with post-infectious bronchiolitis obliterans.

    PubMed

    Calabrese, Cecilia; Corcione, Nadia; Rea, Gaetano; Stefanelli, Francesco; Meoli, Ilernando; Vatrella, Alessandro

    2016-01-01

    ós terapia de curto e de longo prazo com uma combinação de corticosteroide/2-agonista de longa duração inalatórios, associada a um agente antimuscarínico de longa duração inalatório, o paciente apresentou uma melhora relevante da obstrução das vias aéreas, a qual fora irreversível durante o teste de broncodilatação. A função pulmonar do paciente piorou quando ele interrompeu a terapia inalatória tripla. Além disso, um programa de reabilitação pulmonar de três semanas significativamente melhorou seu desempenho físico. PMID:27383939

  17. Farmyard Manure and Fertilizer Effects on Seed Potato (Solanum tuberosum L.) Yield in Green House Production

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    László, M.

    2009-04-01

    alta potencialidade (boa textura e adequada retenção de agua). Efeito do nitrogênio No Brazíl em todas regiões onde se cultiva batata é raro encontrar solos com elevado teor de nitrogênio e que não precisam de quantidades desta elemento. É o elemento que governa o padrão de desenvolvimento da planta, estimulando principalmente o crescimento da parte aérea (Kádár et all. 2000., László 2000.). Para se obter rendimento de tubérculos é necessário um rápido e curto periodo de desenvolvimento da parte aérea e uma fase de acúmulo maior possível. Para tanto, devem ser evitadas doses muito altas de nitrogênio e, principalmente, se aplicadas tardiamente, pois haverá demasiado desenvolvimento de folhas que demorarão mais a finalizar seu crescimento e maturação. Isto implicará na redução do periodo de intenso desenvolvimento dos tubérculos e armazenagem do amido, resultando em menor produção. Há risco para a saúde na ingestão de alimentos com altos teores de nitrato e nitrito, havendo preocupação com o efeito de doses mais altas de nitrogênio sobre os teores dos mesmos nos tuberculos. Embora haja diferenças entre cultivares, localidades e períodos de armazenamento, há estudos mostrando que a fertilização com até 150 kg ha-1 de nitrogênio não foi suficiente para propiciar niveis preocupantes de nitrato nos tuberculos colhidos. Efeito do fósforo A grande maioria dos solos brasileiros cultivados com batata apresentam limitações ao bom desenvolvimento e produção da cultura em função dos baixos níveis de fósforo. Isto significa que aumentos de produção quase sempre ocorrem quando o solo recebe adubação fosfatada (László 2001a.). Estes aumentos são mais marcantes em solos nunca antes adubados ou com baixo teor de fósforo. Nestes, dificilmente alcanca- se a produção máxima com níveis reduzidos de fósforo. Não seria exagerado supor níveis de 600 a 800 kg ha-1 de P2O5, como sendo aqueles que iriam proporcionar produ

  18. Value of the Qrs-T Angle in Predicting the Induction of Ventricular Tachyarrhythmias in Patients with Chagas Disease.

    PubMed

    Zampa, Hugo Bizetto; Moreira, Dalmo Ar; Ferreira Filho, Carlos Alberto Brandão; Souza, Charles Rios; Menezes, Camila Caldas; Hirata, Henrique Seichii; Armaganijan, Luciana Vidal

    2014-10-28

    .95; CI 0.99-15.82; p = 0.052). The EF also emerged as a predictor of induction of VT / VF: for each point increase in EF, there was a 4% reduction in the rate of sustained ventricular arrhythmia on EPS. Conclusions: Changes in the QRS-T angle and decreases in EF were associated with an increased risk of induction of VT / VF on EPS.Fundamento: O ângulo QRS-T mostra correlação com prognóstico em pacientes com insuficiência cardíaca e doença coronariana, traduzido por um aumento na mortalidade proporcional ao aumento na diferença entre os eixos do complexo QRS e da onda T no plano frontal. Até hoje, nenhuma informação a este respeito foi obtida em pacientes com cardiopatia chagásica. Objetivo: Correlacionar o ângulo QRS-T com a indução de taquicardia ventricular / fibrilação ventricular (TV / FV) em chagásicos durante estudo eletrofisiológico (EEF). Métodos: Estudo caso-controle em centro terciário. Pacientes sem indução de TV / FV ao EEF foram utilizados como controles. O ângulo QRS-T foi categorizado como normal (0-105º), limítrofe (105-135º) e anormal (135-180º). As diferenças entre os grupos foram analisadas pelo teste t ou teste de Mann-Whitney para variáveis contínuas, e teste exato de Fisher ou qui-quadrado para variáveis categóricas. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos. Resultados: De 116 pacientes submetidos ao EEF, 37,9% foram excluídos por estarem com dados incompletos / prontuários inativos ou pela impossibilidade de se calcular corretamente o ângulo QRS-T (presença de bloqueio de ramo esquerdo e fibrilação atrial). De 72 pacientes incluídos, 31 induziram TV / FV ao EEF. Destes, o ângulo QRS-T se encontrava normal em 41,9%, limítrofe em 12,9% e anormal em 45,2%. No grupo de pacientes sem indução de TV / FV, o ângulo QRS-T se encontrava normal em 63,4%, limítrofe em 14,6% e anormal em 17,1% (p = 0,04). Quando comparados aos pacientes com ângulo QRS-T normal, o risco de indução de TV / FV nos

  19. Practical Astronomical Activities during Daytime. (Spanish Title: Actividades Astronómicas Prácticas Diurnas.) Atividades Astronômicas Práticas Diurnas

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Jackson, Eric

    2009-12-01

    aulas. Se a Astronomia ia ser introduzida, então era preciso encontrar uma forma de resolver essas dificuldades. Nosso grupo, trabalhando com professores e alunos numa abordagem construtivista, encontrou que os princípios da Astronomia podem ser descobertos durante o dia, enquanto os alunos estão na escola. Trabalhando de forma cooperativa os alunos mediram e registraram observações de suas próprias sombras causadas pelos movimentos da estrela mais próxima, o Sol, e nosso planeta Terra. Devido ao fato de os alunos se envolverem muito pessoalmente nas atividades, eles ficaram muito mais interessados nos resultados do estudo. A Astronomia passou a ser um desafio para o professor e seus alunos quando aplicaram suas experiências diurnas à observação noturna desde suas casas, relatada depois em sala de aula.

  20. Conversation with Lara about the Earth and Land. (Spanish Title: Conversando con Lara sobre la Tierra y la Teirra.) Conversando com Lara sobre a Terra e a Terra

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    da Conceição Barbosa-Lima, Maria

    2010-12-01

    en que vive es el planeta Tierra y que, probablemente por ese motivo, distingue con precisión, dentro de los limites de comprensión de la edad y madurez asociada, la tierra y la Tierra. O presente artigo analisa uma entrevista livre enquanto uma menina de quatro anos e quatro meses, matriculada na educação infantil, desenhava a Terra. A entrevista se realizou fora do ambiente escolar e sem qualquer outra pessoa por perto que pudesse interferir. De acordo com Ferreira & Silva (2004), para que o pesquisador conheça realmente o que uma criança põe no papel através de grafismos e/ou desenhos, é necessário ouvi-la durante o processo de criação do desenho. A menina apresenta, em relação à Terra, o tradicional desenho plano com o 'céu' paralelo ao solo, conforme já apresentaram Nardi & Carvalho (1996). Mas quando solicitada a desenhar o Mundo - palavra empregada em um trabalho por Butterworth et al. (2002), com intenção de não provocar 'confusões' desnecessárias para seus pesquisados - o representa de forma circular, colocando-se sobre sua superfície. Seus desenhos levaram à conclusão que esta criança ainda não tem conhecimento de que o Mundo em que vive é o Planeta Terra e que, provavelmente por este motivo, diferencia com precisão, dentro dos limites impostos por sua idade e consequente maturidade, a terra e a Terra.