Science.gov

Sample records for aberracoes cromossomicas induzidas

  1. Alterações Induzidas Pelo Exercício no Número, Função e Morfologia de Monócitos de Ratos

    PubMed Central

    GUERESCHI, MARCIA G.; PRESTES, JONATO; DONATTO, FELIPE F.; DIAS, RODRIGO; FROLLINI, ANELENA B.; FERREIRA, CLÍLTON KO.; CAVAGLIERI, CLAUDIA R.; PALANCH, ADRIANNE C.

    2008-01-01

    O propósito desse estudo foi verificar as alterações histofisiológicas em monócitos e macrófagos induzidas por curtos períodos de exercícios. Ratos Wistar (idade = 2 meses, peso corporal = 200g) foram divididos em sete grupos (n=6 cada): controle sedentário (C), grupos exercitados (natação) na intensidade leve por 5 (5L), 10 (10L) e 15 minutos (15L), e grupos exercitados em intensidade moderada por 5 (5M), 10 (10M) e 15 minutes (15M). Na intensidade moderada os animais carregaram uma carga de 5% do peso corporal dos mesmos em seus respectivos dorsos. Os monócitos sangüíneos foram avaliados quanto à quantidade e morfologia e os macrófagos peritoneais foram analisados quanto à quantidade e atividade fagocitária. Os dados foram analisados usando ANOVA e Tukey’s post hoc test (p ≤ 0,05). Os grupos de intensidade leve e 5M apresentaram aumento nos níveis dos monócitos quando comparados com o controle. Foi observado aumento na área celular dos monócitos para os grupos 5L, 10L, 5M e 10M; a área nuclear aumentou para os grupos 10L, 5M e 10M em comparação com o controle. Houve aumento nos macrófagos peritoneais para os grupos 15L, 10M, 15M e diminuição no grupo 5M. A capacidade fagocitária dos macrófagos aumentou nos grupos de intensidade leve e para o grupo 10M. O exercício realizado por curtos períodos modulou o número e função dos macrófagos, assim como o número e morfologia dos monócitos, sendo tais alterações dependentes da intensidade. A soma das respostas agudas observadas nesse estudo pode exercer um efeito protetor contra doenças, podendo ser utilizada para a melhora da saúde e qualidade de vida.

  2. Doença de depósito lisossomal induzida pelo consumo de Ipomoea verbascoidea (Convolvulaceae) em caprinos no semiárido de Pernambuco

    Technology Transfer Automated Retrieval System (TEKTRAN)

    The aim of this paper was to reproduce the poisoning of Ipomoea verbascoidea in goats and describe the epidemiological, clinical and pathological aspects of spontaneous poisoning by this plant in Pernambuco. For this, we studied the epidemiology of the disease in seven mu¬nicipalities in the semiari...

  3. Comparação de modelos para o cálculo de perturbações orbitais devidas à maré terrestre

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Vieira Pinto, J.; Vilhena de Moraes, R.

    2003-08-01

    Aplicações recentes de satélites artificiais com finalidades geodinâmicas requerem órbitas determinadas com bastante precisão. Em particular marés terrestres influenciam o potencial terrestre causando perturbações adicionais no movimento de satélites artificiais, as quais tem sido medidas por diversos processos. A atração exercida pela lua e pelo sol sobre a terra produz deslocamentos elásticos em seu interior e uma protuberância em sua superfície. O resultado é uma pequena variação na distribuição da massa na terra, consequentemente no geopotencial. As perturbações nos elementos orbitais de satélites artificiais terrestres devidas a maré terrestre podem ser estudadas a partir das equações de Lagrange, considerando-se um conveniente potencial. Por outro lado, como tem sido feito pelo IERS, as mudanças induzidas pela maré terrestre no geopotencial podem ser convenientemente modeladas como variações nos coeficientes Cnm e Snm do geopotencial. As duas teorias ainda não foram comparados para um mesmo satélite. Neste trabalho são apresentadas e comparadas as variações de longo período e seculares nas perturbações orbitais devidas à maré terrestre, calculadas por um modelo simples, o de Kozai, e pelo modelo do IERS. Resultados preliminares mostram, para os satélites SCD2 e CBERS1, e para a Lua em movimento elíptico e precessionando, as perturbações seculares no argumento do perigeu e na longitude do nodo ascendente.

  4. Variabilidade óptica de longo período e precessão de jato: o caso de BL Lacertae

    NASA Astrophysics Data System (ADS)

    Caproni, A.; Abraham, Z.

    2003-08-01

    Variabilidade é tipicamente uma característica de AGNs, sendo observada em toda a faixa eletromagnética. Em relação às escalas de tempo, variações desde horas até de algumas décadas foram encontradas por vários autores. Em alguns casos, análises temporais de curvas de luz mostram a existência de periodicidade nas variações observadas. Um exemplo de objeto que preenche as características mencionadas acima é BL Lacertae, o protótipo da classe BL Lac dos AGNs. Neste trabalho, nós interpretamos a variabilidade periódica de longo período detectada na curva de luz na banda B (~7,5 anos) como o resultado da periodicidade na amplificação da radiação oriunda do jato relativístico. Neste cenário, a amplificação periódica seria induzida pela precessão, que muda o ângulo entre o jato e a linha de visada. Com esta abordagem e vínculos adicionais fornecidos por observações em altas energias, nós podemos impor limites para os parâmetros do modelo de precessão, tais como o fator de Lorentz associado ao movimento global do jato, o ângulo de abertura do cone de precessão e o ângulo entre o eixo do cone e a linha de visada.

  5. [MAST and AUDIT. Evaluation of psychometric characteristics in patients with alcohol dependence].

    PubMed

    Fonte, Aníbal; Mota-Cardoso, Rui

    2013-01-01

    Introdução/Objectivo: Avaliar a correlação entre a pontuação no MAST e no AUDIT em doentes internados para desintoxicaçãopor dependência de álcool e analisar a possibilidade destas pontuações refletirem a intensidade da gravidade da dependência e dos problemas relacionados com o uso do álcool.Material e Métodos: Estudo correlacional. Doentes internados pela primeira vez, para tratamento por dependência de álcool. Além de uma entrevista estruturada, do MAST e do AUDIT, foi utilizado o SADD para avaliação do grau de dependência do álcool e o APQ para os problemas relacionados com o consumo de álcool.Resultados: A consistência interna (α de Cronbach) do MAST foi 0,77 e a do AUDIT foi 0,73. A correlação entre os dois instrumentos foi moderada (R = 0,497, p < 0,001). Ambos apresentam correlação moderada e significativa (p < 0,001) com o SADD e o APQ. O conjunto de itens do AUDIT dirigidos para a dependência têm maior correlação com o SADD do que com o APQ, sucedendo o inverso com o conjunto de itens pertencentes à dimensão problemas/consequências adversas. Os dois instrumentos apresentam correlação baixa com o volume de álcool consumido avaliado em g/d.Conclusão: Tanto o MAST como o AUDIT apresentam uma pontuação total que reflete a gravidade da dependência e das perturbações induzidas pelo álcool. Em populações clínicas estes instrumentos podem ser utilizados como variável contínua, para registo quantitativo da magnitude dos problemas. O AUDIT, relativamente ao MAST, tem a vantagem de apresentar um número menor de itens, ser mais fácil de responder e de cotar. O AUDIT tem ainda a vantagem de apresentar conjuntos de itens pertencentes a três dimensões (quantidade/frequência, dependência, problemas/consequências adversas) que podem ser analisados separadamente permitindo uma caracterização mais especificação das situações em estudo.

  6. [Gonadal function in Turner syndrome].

    PubMed

    Alves, Márcia; Bastos, Margarida; Almeida Santos, Teresa; Carrilho, Francisco

    2013-01-01

    Introdução: A síndrome de Turner caracteriza-se pela ausência, parcial ou total, de um cromossoma X no sexo feminino, sendo uma das cromossomopatias mais frequentes. O diagnóstico é realizado através do cariótipo e as suas manifestações incluem o hipogonadismo primário, antes ou após a puberdade (disgenesia gonadal). O grau de disfunção e a extensão dos defeitos gonadais são variáveis.Objectivos: Pretendeu-se avaliar a clínica, cariótipo, função gonadal e características ecográficas do útero e ovários de mulheres com síndrome de Turner.Material e Métodos: Estudo retrospectivo de doentes com síndrome de Turner, seguidas nos Serviços de Endocrinologia ou Reprodução Humana dos Hospitais da Universidade de Coimbra - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, E.P.E. Avaliou-se toda a amostra e consideraram-se o grupo 1 (com puberdade e menarca espontânea) e grupo 2 (sem puberdade espontânea). Parâmetros avaliados: idade do estudo inicial, puberdade, cariótipo, FSH, ecografia pélvica inicial e pós-pubertária, celioscopia e indução pubertária. Estudo estatístico: SPSS (20.0).Resultados: Amostra: 79 doentes, 14,7 ± 6,6 anos. Ausência de sinais pubertários em 57,1%, amenorreia primária 67,1% e secundária 6,6%. Cariótipo: monossomia X-37,2%, mosaico-37,2%, alterações estruturais de X-25,6%. Mediana da FSH 59,5mUI/mL. Ecografia inicial: útero normal-34,2%, atrófico-65,8%; ovários normais-21,6%, atróficos-78,4%, com folículos-5,1%. Ecografia pós-pubertária: útero normal-67,9%, atrófico-32,1%; ovários normais-36,4%, atróficos-63,6%. A laparoscopia realizada em 16 (20,3%) doentes confirmou os achados ecográficos. Duas mulheres com puberdade induzida engravidaram: uma espontaneamente, sem evolução; outra pordoação de ovócitos, evolutiva. Grupo 1 (com puberdade e menarca espontânea): 20 (25,3%) doentes, 16,1 ± 8,9 anos. Puberdade na avaliação inicial: M1-22,2%, M2-33,3%, M3-16,7%, M4-16,7%, M5-11,1%. Cari